Formação, cultura e práticas agroecológicas

A 16ª Jornada de Agroecologia, que em 2017 terá a temática
“Keno Vive! Terra Livre de Transgênicos e Sem Agrotóxicos”, deve receber mais
de dois mil guardiões da agrobiodiversidade e construtores da agroecologia de
todo o país no Parque de Exposições da Lapa.

Para a população das cidades é uma oportunidade de ver de
perto como se produz o alimento sem veneno e também ter acesso à
comercialização desses produtos na feira permanente.

Organizada pelos movimentos sociais do campo Via Campesina e
MST, a programação da Jornada inclui oficinas práticas de agroecologia,
atividades culturais, conferências sobre o avanço do capitalismo na
agricultura, direitos humanos e criminalização dos movimentos sociais nesta
conjuntura de golpe, intercâmbio com experiências nas comunidades da região,
seminários temáticos sobre agroecologia, sementes, educação no campo, ativismo
contra os agrotóxicos, economia solidária e mudanças climáticas.

Uma plenária da Frente Brasil Popular será realizada no
último dia de Jornada (23), com a presença do coordenador nacional do MST, João
Pedro Stédile, para expor as diretrizes de conjuntura política nacional e
apresentar o Plano Nacional de Emergência para superar a crise, organizado
pelos movimentos sociais.

Para o Ato Político da Jornada são esperados ilustres
guardiões das sementes e apoiadores da Reforma Agrária, que terão a companhia
da belíssima Orquestra Latinoamericana (OLA), numa apresentação marcada para a
tarde de 22 de setembro (sexta).

Para os interessados, o credenciamento será feito a partir das
10h do dia 20 de setembro (quarta). Além do palco, da feira e da plenária, no
local da Jornada também é estruturado um imenso acampamento que recebe famílias
de pequenos produtores da agricultura familiar, acampados, assentados e
apoiadores da Reforma Agrária Popular.

A internacionalização das práticas agroecológicas é uma
característica da Jornada: a coletividade, o compartilhamento de experiências e
a busca da pureza dos alimentos como forma de resistência ao capitalismo, para
que as trocas sejam compartilhadas, solidarizadas.

Entre as atividades permanentes da Jornada, está o chamado “Túnel
do Tempo Contestado”, recorte histórico contado de maneira lúdica por meio de
exposição artística, a ciranda infantil e as noites culturais. Todos os dias
são realizadas as místicas e, na última, o encerramento é marcado pela partilha
de sementes.

Nota de pesar José Haroldo Ludewig

É com profundo pesar que recebemos a notícia do falecimento de José Haroldo Ludewig, servidor que dedicou parte significativa de sua vida ao serviço público. José iniciou sua jornada como Auxiliar de Serviços Escolares em 2012, na Escola CEI Lina

Leia mais »