Assembleia no dia 17 define rumos da greve

Nesta segunda-feira, 17, ocorre uma assembleia geral para
definir os rumos da greve marcada para o dia 18. A paralisação por tempo
indeterminado é contra os doze projetos de lei que tramitam na Câmara Municipal
de Curitiba. As propostas visam retirar direitos dos servidores municipais como
a alteração da data-base para novembro, o congelamento dos planos de carreira e
o aumento da alíquota do Instituto de Previdência Municipal de Curitiba. Além
disso, o Pacote de Maldades enviado por Greca ao Legislativo também aumenta
impostos para a população mais pobre e o povo. É o caso do aumento de 2,4% para
2,7% do ITBI para imóveis entre R$ 140 mil e R$ 300 mil e o aumento em 100% e
cobrança de IPTU dos mais pobres. No entanto, os projetos poupam os mais ricos
da cidade.

A assembleia deve avaliar as mobilizações feitas até o
momento, que foram aprovadas durante encontro do dia 31 de março que ocorreu em
frente à Câmara Municipal. Naquele momento foi aprovado a confecção do Jornal
Curitiba de Verdade, panfletos unificados dos sindicatos para a população e a manutenção de outdoors pela cidade
denunciando o Pacote de Maldades. O Sismuc também realizou atos regionalizados
e fez encontros com os vereadores questionando as medidas a serem debatidas.

“Nós queremos substituir ajuste fiscal por justiça
social. Nela, os mais ricos podem contribuir mais, ao invés de cobrar dos
trabalhadores. Quem tem dívida, que pague. A prefeitura, por exemplo, nos nega
a lista de seus devedores. Os donos da cidade não foram atingidos pelo ajuste.
Podemos ver no reajuste da tarifa técnica em 8%, o dobro da inflação”,
criticou Irene Rodrigues, coordenadora geral do Sismuc.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal, Serginho do
Posto (PSDB), os projetos estão sendo avaliado pelo departamento jurídico –
Projud. A expectativa é que essa análise termine no dia 18. Data inclusive
marcada para o início da greve dos municipais. Em seguida, os projetos devem
tramitar pelas comissões. O presidente reforçou que a Casa tem tomado cuidado
em analisar todos os projetos, inclusive solicitando pareceres do Tribunal de
Contas do Estado (TCE) e não descartando a realização de uma audiência pública.
O debate ampliado é uma solicitação dos sindicatos.

Agenda

Assembleia Geral contra Pacote de Maldades

17 de abril

APP-Sindicato

Avenida Iguaçu, 880

19 horas

Nota de pesar José Haroldo Ludewig

É com profundo pesar que recebemos a notícia do falecimento de José Haroldo Ludewig, servidor que dedicou parte significativa de sua vida ao serviço público. José iniciou sua jornada como Auxiliar de Serviços Escolares em 2012, na Escola CEI Lina

Leia mais »