No Meio do Caminho – Carlos Drummond de Andrade

Bem-vindo 2019

No Meio do Caminho –
Carlos Drummond de Andrade

No meio do caminho tinha uma pedra

tinha uma pedra no meio do caminho

Tinha uma pedra

No meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento

Na vida de minhas retinas tão fatigadas.

Nunca me esquecerei que no meio do caminho

Tinha uma pedra

Tinha uma pedra no meio do caminho

No meio do caminho tinha uma pedra.

O poema acima, do poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade, foi
publicado em julho de 1928 e causou polêmica. Para alguns, o poema No Meio
do Caminho é considerado como o produto de um gênio, para outros é
descrito um poema monótono e sem sentido. É possível afirmar que as críticas e
ofensas feitas ao autor foram pedras no meio do seu caminho. Prefiro colocar
que este poema representa a dura jornada da nossa vida, mas do que isso, nossa
militância! São muitos os obstáculos e desafios pelos quais percorremos. Alguns deles saímos vitoriosos ou não, em outros
saímos feridos (emocional e fisicamente até no sentido literal), por vezes
resistimos mas jamais retrocedemos! Continuamos FIRMES!

A direção Sindicato é pra lutar! Firmes com a base deseja
votos de um ano novo repleto de felizes realizações e reforça a luta por
melhores condições de vida e trabalho. Sempre firmes!

CMEIs e escolas sofrem com defasagem de profissionais

Falta de professores, CMEIs com estruturas defasadas e, agora, mais um grande problema encontrado na educação pública da cidade inteligente. A Secretaria de Educação de Curitiba tem feito o dimensionamento dos profissionais que atuam nas escolas especiais, ou seja, vem

Leia mais »