CuritibaPrev não se sustenta e coloca em risco orçamento público

Desde 2017, o CuritibaPrev, previdência privada destinada aos servidores públicos, já recebeu 18 milhões dos cofres públicos. Quando foi criado, a partir do Pacotaço do governo Greca, o SISMUC já alertava dos riscos que a iniciativa trazia para o orçamento municipal. Além disso, sempre deixamos claro que o caminho era o investimento e fortalecimento do Instituto de Previdência Municipal de Curitiba (IPMC).

Neste contexto, durante a Tribuna Livre, realizada nesta quarta-feira (9/8) na Câmara Municipal, José Luiz Costa Taborda Raurb, diretor presidente da Fundação, disse que o CuritibaPrev se sustenta, mas, que ainda precisará de mais “verba” para se manter.

Questionamos:
Até quando o governo municipal seguirá investindo dinheiro da população em uma Fundação que não se sustenta e está praticamente falida?

Servidores, assim como seguiremos pautando a revogação dos 14%, precisamos nos atentar nesta pauta do CuritibaPrev. Lembramos: nenhum servidor é obrigado a aderir ao CuritibaPrev.

Verified by ExactMetrics
Verified by ExactMetrics