US Barigui sofreu o sexto assalto do ano durante feriado de carnaval

O retorno ao trabalho dos servidores da Unidade de Saúde
Barigui, pós feriado de Carnaval, foi para arrumar a casa. Pela sexta vez no ano
a unidade foi assaltada e vítima de vandalismo. Devido ao assalto o atendimento
à população foi prejudicado nesta quarta-feira (6), sem consultas, entrega de
medicamentos ou mesmo vacinação. A sala de vacinas e consultórios estavam impossibilitados
para uso.

Nenhum servidor estava no local durante o assalto, mas a
insegurança preocupa os servidores que temem uma ação dos bandidos durante o
expediente.

Desta vez não levaram os computadores, mas foram levados equipamentos
médicos, odontológicos e de enfermagem como balança infantil, medidores de
pressão, termômetros, ventiladores, foram arrancadas janelas de alumínio e quebrados
os vidros que ficaram espalhados pelas mesas, macas e piso da unidade. Estão
faltando ao menos sete janelas na unidade.

Em outros assaltos ocorridos neste ano de 2019 já foram levadas
as panelas da US, torneiras, botijão de gás tipo cilindro, persianas e até uma porta
de alumínio já foi arrancada e levada do local pelos assaltantes.

Localizada na CIC, a unidade está situada entre escola e CMEI municipais e o
conjunto de equipamentos da Prefeitura não conta com a presença da guarda
municipal.

O SISMUC esteve no local e verificou que mesmo sendo vítima
de assaltos frequentes, a Prefeitura não investiu na segurança do local como a
instalação de grades ou portas reforçadas, ou mesmo colocando seguranças ou
guardas municipais para vigiar o equipamento, o que poderia inibir os
assaltantes. O sindicato fotografou a depredação e vai protocolar denúncia
no Ministério Público do Paraná e Prefeitura.

As condições de trabalho dos servidores é uma preocupação da
direção do sindicato que neste ano tem como tema da campanha de lutas melhores condições
de vida e de trabalho.

CMEIs e escolas sofrem com defasagem de profissionais

Falta de professores, CMEIs com estruturas defasadas e, agora, mais um grande problema encontrado na educação pública da cidade inteligente. A Secretaria de Educação de Curitiba tem feito o dimensionamento dos profissionais que atuam nas escolas especiais, ou seja, vem

Leia mais »