Em audiência pública, agentes de endemias denunciam condições de trabalho

O Sismuc participou hoje (16) de reunião do Ministério
Público do Trabalho.

Na reunião, o sindicato relatou problemas que afligem a
categoria dos agentes de endemia, que não têm sido ouvidos pela gestão, apesar
das várias tentativas.

Problemas não faltam, no comparativo com outros segmentos do
funcionalismo, e que se refletem na falta de benefícios como adicional de
insalubridade, vale-alimentação entre outros.

“É uma pauta simples e essencial, que trata basicamente de
risco de vida e saúde, igualdade no vale-transporte e direito à alimentação, os
agentes buscaram essa intervenção. Os trabalhadores são CLT, contratados
diretamente, por isso fomos ao MP”, explica Irene Rodrigues, da
coordenação do Sismuc.

Exposição a riscos

A exposição dos agentes de zoonoses a riscos químicos e
biológicos reforça a demanda pelo adicional de insalubridade. Soma-se a esse
cenário de precarização a falta de provimento por parte da prefeitura de
vale-alimentação, tendo os agentes que, nas ruas, que financiar a própria
alimentação.

Os servidores denunciam a falta de reconhecimento por parte
da gestão sobre os problemas de saúde ocupacional nos exames periódicos dos trabalhadores. 

“Passamos dados e informações referentes às tratativas, levando
documentos que comprovam que a própria prefeitura executou perícia alegando
riscos à saúde do trabalhador”, denuncia Irene Rodrigues.

Encaminhamento

Como encaminhamento, o Ministério Público agendou nova
audiência entre as partes, Sismuc e Prefeitura – intimada a comparecer ao lado
de representantes da secretaria de Saúde –, para o dia 17 de abril, às 14h30.

O sindicato avalia que a falta de diálogo com a administração
levou o debate ao MPT, algo que deve ser superado, uma vez que é uma categoria recente
e que deve ter a chamada isonomia (igualdade) de tratamento com os demais
servidores no que se refere às condições de trabalho e salubridade.

15 de maio – Dia do/da Assistente Social

No Dia do Assistente Social, reconhecemos o papel crucial desses profissionais na construção de uma sociedade mais justa e inclusiva. Seu trabalho é fundamental para garantir que todos tenham acesso aos seus direitos básicos e vivam com dignidade. Vamos valorizar

Leia mais »