Câmara avalia hoje se acata denúncia contra vereadora Kátia Dittrich (SD)

Os
vereadores da comissão processante avaliam hoje se dão
prosseguimento ao processo que investiga a vereadora Kátia Dittrich
(SD. Ela
foi acusada por ex-funcionários de ficar com parte de seus salários.
Kátia, além de outros quatro vereadores, é investigada pelo
Ministério Público do Paraná. Em sua defesa, a vereadora afirma
que é alvo de perseguição política.

A
comissão avalia na tarde de hoje relatório do vereador Osias
Moraes (PRB)sobre
a continuidade ou não das investigações. Ele também é
investigado pelo Ministério Público do Paraná, junto Rogério
Campos (PSC), Giovani Fernandes (PTB) e Thiago Ferro (PSDB), pelo
mesmo motivo que Kátia Dittrich. O vereador pode decidir pela
continuidade ou não da denúncia. A suspeita levantada por seis
ex-funcionários de Kátia é de que “a vereadora e seu marido
passaram a exigir dos assessores uma contribuição monetária, de
forma compulsória e com ameaças de exoneração em caso de recusa”.

Se
Osias decidir pelo arquivamento da denúncia, ela é submetida ao
plenário da CMC. Se decidir pela continuidade das investigações, o
próximo passo é colher o depoimento da vereadora e de testemunhas. O prazo para concluir as investigações é de 
90 dias desde quando a comissão foi instaurada e denunciada foi notificada.

Kátia
Dittrich teve dez dias para apresentar sua defesa formal por escrito.
Isso foi protocolado no último dia 6 de setembro.
“Ali
estão as provas da minha inocência, contando tudo, rebatendo as
contradições, as mentiras que foram inventadas contra a minha
pessoa. Tenho plena certeza que vou ser absolvida porque sou
inocente”,
disse
à imprensa da CMC.

CMEIs e escolas sofrem com defasagem de profissionais

Falta de professores, CMEIs com estruturas defasadas e, agora, mais um grande problema encontrado na educação pública da cidade inteligente. A Secretaria de Educação de Curitiba tem feito o dimensionamento dos profissionais que atuam nas escolas especiais, ou seja, vem

Leia mais »