Prefeitura impede sindicatos de participarem de reunião do IPMC

A Prefeitura de Curitiba impediu que os sindicatos
participassem da reunião do Conselho de Administração do Instituto de
Previdência Municipal de Curitiba (IPMC). A reunião, que ocorreu no Edifício Delta, foi a portas fechadas e segurança da guarda municipal, impedindo que os
representantes legais dos municipais participassem.

Ao chegar ao local, os sindicatos  foram barrados e ainda tiveram de ouvir “ele (Julio) não vai deixar ninguém entrar, nem o Sismmac”, que é
titular na cadeira do conselho. No caso,
“ele” é o suplente do presidente do Conselho do IPMC, Julio Mazza de Souza. Em
resposta, o coordenador do Sismuc, Giuliano Gomes, reclama acesso à reunião. Sem negociação, a participação dos representantes da
categoria dos servidores na reunião do Conselho foi negada.

O impedimento do acesso à reunião que define os rumos da
previdência dos servidores municipais ocorreu, segundo os representantes da
prefeitura, porque havia uma lista de presença. Os representantes dos servidores
era apenas o titular do conselho, no caso, Wagner Argenton. Por outro
lado, a atual composição do conselho –  que participou da 123ª reunião ordinária – sequer está definida em decreto municipal, conforme pesquisa feita no site “Leis
Municipais”.

A postura de proibir o acesso foi criticada pelos
sindicatos. “Se é uma reunião, qualquer representante dos servidores tem
direito a acompanhar pelo princípio da publicidade. Isso não está acontecendo”,
questionam os impedidos.

Além de negar a participação da reunião até como ouvintes, o
Conselho do IPMC não disponibilizou a ata com os assuntos que foram tratados.
Segundo informações do Conselho, esse documento só será público no próximo encontro,
mas a data também não foi fornecida.

Anular a reunião

Sismuc, Sismmac, Sigmuc, SindiCâmara e Sindifisc decidiram
que vão debater se dão entrada com mandado de segurança. O objetivo é anular a
reunião e o conteúdo dela, uma vez que os representantes dos servidores
públicos foram impedidos de participar.

Para o Sismuc, a situação é absurda. A falta de
transparência é preocupante, principalmente em um momento em que o prefeito
Rafael Greca (PMN) trata de ajuste fiscal e deve apresentar na Câmara Municipal
proposta que altera financiamento e organização do IPMC.

“Uma das marcas dessa gestão parece ser a falta de transparência
e diálogo com os servidores. É um absurdo impedir que os representantes dos
servidores participem ao menos como observadores. Nós temos o direito de saber
o que está sendo feito com nossos recursos, afinal, são eles que vão garantir a
aposentadoria de todos”, questiona Giuliano Gomes, coordenador do Sismuc, que foi
impedido de participar da reunião.

Nota de pesar José Haroldo Ludewig

É com profundo pesar que recebemos a notícia do falecimento de José Haroldo Ludewig, servidor que dedicou parte significativa de sua vida ao serviço público. José iniciou sua jornada como Auxiliar de Serviços Escolares em 2012, na Escola CEI Lina

Leia mais »