É tudo delas

A revista Ágora de março está mais do que especial. Ela
mergulhou no universo das mulheres e suas lutas. A partir do dia 8 desse mês,
um movimento em todo o mundo reivindica respeito, direitos e combate
retrocessos como machismo e misoginia. Esse é o tema da reportagem de capa: “Rompendo
Barreiras”. O texto, assinado por Andréa
Rosendo, mostra como foi a construção do movimento e quais são as principais
bandeiras. A jornalista ainda acima uma importante reportagem chamada “A
tatuagem que me habita”. Nela, é narrado o trabalhadora de uma tatuadora que
utiliza seu tempo e a arte para cobrir marcas de violência e cirurgias, criando
um novo significado para as mulheres. Já na sessão de curtas, Andréa Rosendo
fecha seu “hat-trick” abordando 10 palavras do universo feminista que todas as
pessoas devem conhecer.

Mas a pauta com viés de direitos das mulheres não se encerra
por aí. Na coluna “Mulheres”, de Naiara Bittencourt, é discutido a reforma da
previdência e os impactos dela. A colunista critica a proposta que iguala tempo
de trabalho e também o fato de as mulheres receberem menos do que os homens. Já
em “3 Cliques”, o repórter fotográfico Joka Madruga traz imagens que mostram a
luta das mulheres. A fotorreportagem é acompanhada de um poema.

E já que o assunto são as reformas, o advogado trabalhista e
doutor em direito, Nasser Allan, discute os perigos da reforma trabalhista, que
estão no horizonte do governo golpista. Para o especialista, que assina a
coluna “Coordenadas Sindicais” desse mês, a reforma trabalhista reduz direitos
e aumenta concentração de renda.

Ágora também traz a luta dos trabalhadores contra as
reformas apresentadas por Michel Temer. A presidente da Confetam Vilani
Oliveira é a nossa entrevistada. Ela conta mais sobre a campanha “Resistir e
Lutar” e como os trabalhadores podem se organizar. A conversa é assinada por
Manoel Ramires, que trata também dos ataques que os servidores estão sofrendo
nos níveis federal, estadual e municipal. O foco dos governantes têm sido as
previdências próprias e os reajustes salariais.

Já Paula Padilha assina reportagem sobre a “crise dos bancos
públicos”. Desde que assumiu, Temer tem enfraquecido Banco do Brasil e Caixa,
enfraquecendo sua estrutura e demitindo profissionais para que os bancos
privados possam avançar sobre sua carteira de clientes.

A revista dos trabalhadores também chama atenção para o
abandono da Ilha das Peças. O paraíso no litoral paranaense, cercado de água
por todos os lados, não oferece água para sua população. A reportagem de Pedro
Carrano revela certo coronelismo no local. Pedro ainda assina Radar da Luta e
Ponto de Vista, em que trata da disputa das ruas.

Para encerrar com toque de ouro, nosso filósofo Pedro Elói,
na coluna “Pensata”, desenvolve o tema da desindustrialização do Brasil,
assunto abordado em nossa edição de dezembro.
Corretamente, ele observa que “moeda valorizada pode ajudar a combater a
inflação, viajar para Miami, mas com certeza ajuda a promover a
desindustrialização”.

Ágora é uma revista do Sindicato dos Servidores Municipais
de Curitiba (Sismuc). Sua diagramação fica a encargo de Kelly Sumeck e Simon
Taylor, com ilustrações de Fabiano Vianna e Antonio Dias. A coordenação geral
do sindicato é de Irene Rodrigues. A revista é distribuída gratuitamente nos
melhores sindicatos e movimentos sociais a partir do dia 8 de março.

CMEIs e escolas sofrem com defasagem de profissionais

Falta de professores, CMEIs com estruturas defasadas e, agora, mais um grande problema encontrado na educação pública da cidade inteligente. A Secretaria de Educação de Curitiba tem feito o dimensionamento dos profissionais que atuam nas escolas especiais, ou seja, vem

Leia mais »