Sismuc analisa declarações do prefeito Rafael Greca durante a posse

O prefeito de Curitiba mal tomou posse e já demonstrou como será a sua relação com o servidor público. Na cerimônia de posse realizada na tarde desse domingo (01), Greca disse em declarações à imprensa que vai cortar 40% dos gastos da Prefeitura e que pode suspender o reajuste para o funcionalismo. Outro tema que preocupou os servidores da educação foi a declaração de que fiscalizará a rotina de trabalho dos professores.
Segundo o prefeito eleito, as contas públicas do município serão enxugadas. Apesar de afirmar que não tem dados completos sobre as finanças municipais, prometeu reduzir em 40% a máquina pública, por meio do corte de cargos em comissão e funções gratificadas. Também disse que, caso não tenha recurso, pode suspender o reajuste ao funcionalismo.
Para a coordenadora de Assuntos Jurídicos, Adriana Claudia Kalckmann, a declaração sobre o não pagamento de reajuste é descabida.  E argumenta que o servidor não deve ser  alvo de retaliação. “O prefeito não pode fazer com que o servidor mais uma vez pague a conta. A responsabilidade da administração é valorizar o seu funcionalismo para que este possa exercer o seu trabalho com qualidade e dignidade”, declara Adriana. 
Jornada dos professores  – Durante o seu discurso, o prefeito fez ainda uma fala infeliz em relação aos professores, dizendo que fiscalizaria o trabalho deles durante o ano letivo. Para Adriana, a declaração de Greca –  “Vamos às escolas ver se as professoras fazem mesmo a tal hora atividade” – é uma afronta. “Para o nosso entendimento o prefeito deveria sim cumprir o que ele disse. E deveria iniciar pelos Cmeis, pois são nesses locais de trabalho que ele vai verificar que as atividades não acontecem e que os professores de educação infantil muitas vezes fazem planejamento em casa por falta de servidores para cobrir a hora atividade. Espero que o prefeito eleito não seja o lobo mau”, protesta a diretora do Sismuc.
A cerimônia de posse foi presidida pelo vereador eleito com mais votos, Serginho do Posto (PSDB). A posse foi acompanhada da ex vice-prefeita, Mirian Gonçalves (PT). O ex-prefeito Gustavo Fruet (PDT) não compareceu à cerimônia. Depois da posse, foi realizada uma festa aberta ao público, no Memorial de Curitiba, no Largo da Ordem.

CMEIs e escolas sofrem com defasagem de profissionais

Falta de professores, CMEIs com estruturas defasadas e, agora, mais um grande problema encontrado na educação pública da cidade inteligente. A Secretaria de Educação de Curitiba tem feito o dimensionamento dos profissionais que atuam nas escolas especiais, ou seja, vem

Leia mais »