Opinião

  • 01/11/2013

    25 anos de Sismuc

    Uma história de conquistas feitas pela organização dos servidores.

    Há exatos 25 anos alguns bravos servidores da Prefeitura de Curitiba, dentre eles alguns que se encontram aqui hoje, se convenceram da importância de criar um sindicato que pudesse organizar as lutas da categoria. Em uma assembleia realizada na Câmara Municipal, há poucos dias da promulgação da nova Constituição Federal, nascia o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba, o Sismuc. Talvez eles não tivessem ideia naquele momento, mas eles estavam fundando o maior sindicato de base municipal do Paraná e um dos maiores sindicatos do Brasil.

     

    Não apenas pela quantidade de trabalhadores representados legalmente ou porque há vários servidores que fazem parte do quadro de sindicalizados do Sismuc. Mas sobretudo pelas conquistas acumuladas desde então. O Sismuc transformou-se em um instrumento de luta dos trabalhadores. Somos hoje uma entidade respeitada não apenas pelos servidores municipais, mas também pela sociedade curitibana. Uma das nossas principais bandeiras de luta continua sendo a defesa do serviço público de qualidade. E isso se faz com valorização a quem constrói essa cidade, os servidores municipais.

     

    Essa não é uma missão fácil. Nestes 25 anos realizamos paralisações, protestos, greves, debates entre outras iniciativas que buscaram preparar os servidores e os curitibanos para resistir à política neoliberal de boa parte das gestões. Enfrentamos tentativas de destruir o sindicato e o uso da máquina municipal e judicial contra a liberdade sindical no serviço público.

    Nesse sentido, a identidade do Sismuc tem sido construída a ferro e fogo, com base na autonomia e na independência de gestores e políticos. A cada ano aprendemos uma nova lição e nos tornamos ainda mais representativos, porque a categoria dos servidores municipais acredita na força da classe trabalhadora, na sua capacidade de mobilização e percebeu que a mudança se faz com a ação coletiva. 

    Hoje podemos dizer com orgulho que este sindicato conta com cerca de 11 mil sindicalizados. Nossa sustentação financeira é feita exclusivamente da contribuição voluntária dos servidores municipais que pagam suas mensalidades. Conscientes da nossa missão e da nossa herança cutista, dizemos não ao imposto sindical. 

    Reconhecemos também o apoio que o campo da CUT tem dado a esta luta e da mesma forma, entendemos que quem faz a CUT são as entidades sindicais e os trabalhadores. Nesse sentido, devemos agradecer o apoio e a solidariedade de outras direções sindicais, bem como de militantes de movimentos sociais que nos apoiaram até aqui nesta caminhada e nos deram forças para continuar nossa batalha. 

    Dentro do ramo dos municipais, o Sismuc não tem medido esforços para se somar à luta pelo fortalecimento de outras duas entidade sindicais, a Federação dos Sindicatos de Servidores Públicos Municipais Cutistas do Paraná, a Fessmuc, e a Confederação dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal, a Confetam.

    Há muito que avançar ainda. São apenas 25 anos de existência, mas são 25 anos de construção e luta. Nossos objetivos não podem ser encerrados na conquista do aumento salarial. Esta é só uma das nossas pautas que buscam a melhoria das condições de vida dos servidores. Nós acreditamos que a verdadeira luta sindical se faz no campo político também, procurando ganhar corações e mentes para uma sociedade mais justa e igualitária. 

    A luta continua, companheiros. Esse é só o começo. Que venham outras comemorações e que nossa disposição para a luta nunca termine, porque sindicato forte se faz com representação na base e com a consciência da classe trabalhadora de que a força de um sindicato se constrói com a sua participação. 
     
    Adriana Kalckmann
Ver índice de opinião

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS