Notícias

Imprimir
  • 18/09/2019 Geral

    Conferência de assistência social mostrou a necessidade de recompor equipes na FAS

    Conferência de assistência social mostrou a necessidade de recompor equipes na FAS
    Divulgação
    Encontro terminou nesta quarta-feira e teve participação ativa do SISMUC que representou os trabalhadores
    A XIII Conferência Municipal de Assistência Social terminou nesta quarta-feira (18), com proposições para melhores condições de trabalho e ampliação no atendimento dos usuários. O SISMUC participou ativamente da conferência, com seis delegados e duas conselheiras do Conselho Municipal de Ação Social (CMAS). Ao fim, foi eleita uma representante dos trabalhadores para participar como delegada na Conferência Estadual e o SISMUC ainda aprovou uma moção de repúdio contra o fechamento de sete CRAS e quatro unidades de atendimento que a Gestão Greca promoveu em 2018, medida que atingiu mais de 24 mil famílias em especial crianças, adolescentes e idosos em situação de vulnerabilidade social.

    As discussões envolvendo poder público, usuários, trabalhadores e instituições da sociedade civil aconteceram na Universidade Positivo foram divididas em três eixos onde foram aprovadas as proposições para política municipal de assistência social, além de proposta para esfera estadual e federal. A realização de concurso público para recomposição das equipes de trabalho, melhor estrutura e condições de trabalho e aumento dos benefícios para a população atendida foram algumas das proposições aprovavadas na XIII Conferência. Questões que o sindicato vem denunciando diante das dificuldade relatadas pelos servidores da FAS.

    No eixo 1 – Assistência social é direito do cidadão e dever do estado, foram aprovadas propostas como: implantação da carreira de cuidador da FAS, desenvolvimento de ações para habilitar a efetiva inclusão das pessoas em situação de vulnerabilidade social, assegurar a interdisciplinariedade para o atendimento, fortalecer a atenção básica, garantir o atendimento presencial em especial nas políticas públicas de seguridade social e segurança alimentar em virtude da dificuldade na utilização do meio digital, e redução para 60 anos de idade para que idoso possa se beneficiar com o transporte público gratuito, entre outras questões.

    No eixo 2- Política pública tem que ter financiamento público foram colocadas as propostas: ampliação de recursos para garantir a ampla cobertura de benefícios eventuais para o atendimento das políticas públicas de assistência social, promover parceria entre trabalhadores da assistência social e da saúde para atendimento das pessoas em situação de risco e vulnerabilidade social, correção dos valores atuais de subsídios alimentares e de transporte público devido o aumento do contingente de pessoas provocado pelo desemprego estrutural, promover articulação com o Poder Legislativo para destinar recursos das emendas parlamentares para o fundo do CMAS, garantir recursos para realização de concursos públicos, convocação dos aprovados e recomposição das equipes de trabalho, valorização dos servidor com plano de carreira específico e melhores condições de trabalho.

    Já no eixo 3 – Participação popular garante a democracia e o controle social, foram apresentadas propostas para promover campanhas informativas e educativas sobre o trabalho de assistência social, promover ações para apresentar os serviços do SUAS nas comunidades, realizar capacitação profissional dos trabalhadores do SUAS visando o desenvolvimento de metodologias e a instrumentalização dos usuários na perspectivas do exercício do controle social, criar espaço de reuniões conforme territorialidade, entre outras proposições.

    O aumento de recursos para políticas públicas de assistência social e a garantia da manutenção e soberania dos direitos garantidos para participação popular e a volta de um ministério para área também foram questões apresentadas na Conferência.

    O evento, que acontece a cada dois anos, aprovou ainda moções de repúdio contra a reforma da previdência e as tentativas de acabar com o BPC, a alteração do CONANDA, entre outras ações de desmonte que estão sendo promovidas nas políticas públicas de assistência social.


    Imprensa SISMUC
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS