Notícias

Imprimir
  • 29/05/2020 Saúde

    FALA SERVIDOR: No combate à dengue, ACEs ficam expostos ao coronavirus

    FALA SERVIDOR: No combate à dengue, ACEs ficam expostos ao coronavirus
    Arte: CTRL S
    Com a pandemia, os riscos aumentam. Gestão precisa dar respostas às reivindicações que os servidores vêm cobrando há tempos

    A pandemia gerada pelo novo coronavírus tem desafiado a saúde no Brasil. Infelizmente, essa não pode ser a única preocupação neste momento. Enquanto a pandemia cresce no Paraná, os casos de dengue também aumentam, já são pelo menos 139 mortes por dengue, somado às 169 ocasionadas pela Covid-19. Em Curitiba, o combate da doença é realizado pelos Agentes de Combate às Endemias (ACEs), que tem como um dos focos do seu trabalho vistoriar e eliminar focos para conter o avanço da dengue.

    Durante a pandemia, os agentes estão ainda mais sujeitos aos riscos. Seus Equipamentos de Proteção Individual (EPI) já tinham problemas antes, alguns ACEs até hoje têm apenas um uniforme, isso sem falar das botas que além do desconforto podem causar lesões. As luvas, quando são impermeáveis, têm baixa qualidade e rasgam fácil.

    Os riscos envolvidos no trabalho dos agentes são conhecidos pela Prefeitura, só que a gestão prefere fingir que não vê! E agora, em meio a uma pandemia a administração fez muito pouco para dar segurança para esses trabalhadores realizarem sua atividade que depende do contato cotidiano com a população, principalmente a mais vulnerável, podendo infectar ou ser infectado.

    O que falta para o desprefeito é sair de cima do seu pedestal e entender a real situação que os profissionais do município vivem e convivem todos os dias!

    Os ACEs visitam pontos estratégicos e muitas vezes precisam trabalhar em meio a grande concentração de lixo urbano ou até mesmo em locais onde não existe saneamento básico. Há quase dois meses eles não receberam reposição de álcool em gel, a prefeitura também tem “distribuído” máscaras de pano contrariando as normas da Anvisa, isso quando não exige que os trabalhadores comprem as suas próprias.

    Mais do que nunca, esses profissionais precisam de valorização! O importante trabalho que exercem precisa ser reconhecido por meio de condições de trabalho adequadas e melhores salários. A situação é atípica, e é responsabilidade da prefeitura manter os trabalhadores em segurança.

    E, se você tem alguma denúncia, envie para o Fala, Servidor através do WhatsApp: 41 9661-9335. É com a força da denúncia dos servidores que vamos cobrar a Prefeitura!

Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS