Notícias

Imprimir
  • 14/05/2020 Saúde

    Fala, servidor: testes para COVID-19 são insuficientes para equipes de saúde

    Fala, servidor: testes para COVID-19 são insuficientes para equipes de saúde
    Arte: CTRL S
    Falta de testes para diagnosticar a doença entre trabalhadores da saúde aumenta a subnotificação e coloca equipes em risco

    A subnotificação de casos da Covid-19 no Brasil tem sido um dos temas mais abordados por especialistas. Em todo o país, de 16 de março à 8 de maio, foram mais 3 mil mortes por síndrome respiratória grave (SRAG), em contraposição, no ano passado apenas 210 pessoas morreram pela doença. Nesse mesmo período o Ministério da Saúde anunciou apenas 563 mortes por Covid-19.

    Um dos motivos que causa o agravo da situação e a subnotificação é a falta de testes para diagnóstico da doença. Em Curitiba e em Araucária, a situação não é diferente, a administração tem testado apenas casos graves que evoluem para internação, desconsiderando os assintomáticos e casos mais leves da doença.

    Quando se trata dos profissionais da saúde os protocolos dos governos Greca e Hissam só pioram! De acordo com as secretarias do município, mesmo os trabalhadores da saúde tendo contato com outro trabalhador no local de trabalho com confirmação da Covid-19, eles não serão testados se estiverem assintomáticos. Ou seja, além de levar a doença para dentro das suas casas e das suas famílias, os profissionais também podem ser vetores da doença durante o próprio atendimento à população. E já imaginou a preocupação dos trabalhadores que lutam para salvar vidas, com a possibilidade de estarem infectados e poderem transmitir a doença?

    E é importante destacar que, conforme estudos científicos divulgados pela OMS, até 60% dos contágios são transmitidos por pessoas sem sintomas.

    Em Araucária, um servidor da UPA que passou mais de um plantão com sintomas fez o teste e obteve a confirmação da Covid-19. Os colegas de plantão solicitaram o teste e o pedido foi negado porque eles não apresentavam sintomas. O SIFAR já solicitou a disponibilidade de hotel para isolamento dos trabalhadores da saúde, e o pedido foi negado pela gestão Hissam. Agora, chegam relatos de equipes inteiras adoecidas por puro descaso e falta de organização!

    Os sindicatos têm cobrado uma solução das gestões. Em reunião com o SISMUC, a Prefeitura de Curitiba se comprometeu a realizar os testes nos profissionais da saúde, porém, as denúncias que chegam até o sindicato deixam claro que nem todos estão sendo testados. O SISMUC também realizou a solicitação para que os profissionais da saúde tenham hotéis para se hospedar longe da família durante períodos de agravamento da doença, essa é uma ação que a gestão tem prometido desde o início da epidemia, mas a lentidão para agir não condiz com a gravidade da situação.

    Diante do crescimento de casos da Covid-19 entre trabalhadores de saúde, o SISMUC enviou um novo ofício cobrando a gestão para que os testes sejam ampliados e que sejam testes de qualidade!

    Na última terça-feira (12) foi comemorado o dia da enfermagem, mas, os “presentes” das Prefeituras para os profissionais da saúde têm sido apenas o despreparo e a mentira dos órgãos responsáveis. O SISMUC e o SIFAR parabenizam os profissionais e seguem com o seu compromisso com a verdade e com a cobrança realizada cotidianamente para que a administração faça aquilo que é direito dos trabalhadores. Exigimos respeito e condições adequadas de trabalho para avançar no combate à Covid-19.

    É o que aparece na denúncia da enfermeira Marcia, personagem criada para dar voz às denúncias recebidas pelo SISMUC e pelo SIFAR pelo canal Fala, servidor, com a preservação do sigilo dos trabalhadores. Marcia atua no sistema de saúde de Araucária e de Curitiba e nos ajuda a mostrar os problemas enfrentados pelos trabalhadores. Vale lembrar que a personagem é fictícia, mas as denúncias são reais.

    Imprensa SISMUC e SIFAR
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS