Notícias

Imprimir
  • 10/02/2021 Educação

    Sindicatos nunca concordaram com o protocolo de retorno presencial

    Sindicatos nunca concordaram com o protocolo de retorno presencial
    Arte: Ctrl S
    SISMUC e SISMMAC compuseram o Comitê de Volta às Aulas como forma de voz ativa da representação dos trabalhadores, mas jamais concordaram com a administração
    Em dezembro de 2020, a gestão Greca demonstrou que não aceita a opinião dos trabalhadores e lançou o protocolo de volta às aulas sem debate final com o Comitê. Essa manobra confirmou mais uma vez o que os representantes sindicais sempre denunciaram: a intransigência e o autoritarismo da gestão Greca.

    Em todas as reuniões, o SISMUC e o SISMMAC destacaram sua discordância com o retorno presencial sem vacina, além de apontar os erros e problemas do protocolo. Em um Comitê formado quase inteiramente por representes da Prefeitura, os Sindicatos tiveram a postura firme de demonstrar que em Curitiba – e no Brasil – não existe um protocolo de fato seguro para o retorno presencial e por isso, para garantir a segurança de estudantes, pais e trabalhadores da educação, a única forma segura de retorno é com a vacina.


    Como forma de manobra e propaganda, Greca divulgou o protocolo nas redes sociais antes mesmo do próprio Comitê de Volta às Aulas saber que ele havia sido finalizado. E mais uma vez, o SISMUC e o SISMMAC reiteram que jamais assinaram ou concordaram com o protocolo de retorno presencial.


    Por isso, os Sindicatos entraram com uma ação judicial para retirar o nome dos representantes sindicais do documento. A liminar foi indeferida, pois o entendimento do poder judiciário é de que o Comitê não tem poder decisório, e que os Sindicatos representaram uma voz dentro daquele espaço, mesmo que tenha sido discordante. Portanto, os Sindicatos apenas compuseram o Comitê, o que não significa que concordaram com as decisões tomadas naquele espaço. Os servidores podem conferir aqui a decisão judicial.


    Quando questionada, a Prefeitura deixou claro que o protocolo poderia ter sido feito por eles mesmos, sem a participação de ninguém no Comitê. E na prática, foi exatamente isso que aconteceu. Os Sindicatos quase não foram ouvidos e o protocolo final passou por cima de quase todas as intervenções feitas pelos representantes dos trabalhadores.


    Além disso, é importante destacar que o Comitê não tem poder de decisão. Por isso, a reabertura das unidades escolares é de responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde, Secretaria Municipal de Educação e dos demais membros da gestão Greca. Estes sim são os responsáveis por colocar a vida dos trabalhadores, dos estudantes e da comunidade, em risco.


    Nosso foco é na mobilização!


    É com debate e mobilização que vamos derrubar o desgoverno Greca! Os trabalhadores da educação não abaixam a cabeça para a gestão e é por isso que convocamos todos a participar da assembleia conjunta que acontece nesta quarta-feira, 10 de fevereiro.


    Se você não se inscreveu, ainda dá tempo! Acesse http://bit.ly/assemblei4 e inscreva-se!


    A assembleia será realizada de forma virtual pela plataforma Zoom. Se você tem dúvidas de como participar clique aqui.


    E, se ainda está em dúvida sobre o retorno presencial, você pode conferir nossa live sobre a falta de segurança no retorno presencial no Facebook do SISMUC.

    Imprensa Sismuc e Sismmac
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS