Notícias

Imprimir
  • 14/12/2020 Educação

    Em mais uma mostra de descaso, SME desmarca reunião pré-agendada

    Em mais uma mostra de descaso, SME desmarca reunião pré-agendada
    Arte: Ctrl S
    SME passa metade do ano desmarcando reunião com o SISMUC, ignorando a pauta dos servidores

    Sem nenhum motivo que justifique, na manhã desta segunda-feira (14) a Secretaria Municipal de Educação (SME) desmarcou mais uma reunião que estava pré-agendada com o SISMUC.

    A falta de orientações, que sejam as mesmas para todos os trabalhadores, tem sido uma prática da SME durante a pandemia do novo coronavírus. Agora, quase no fim do ano, a Prefeitura quer forçar os trabalhadores da educação a ficarem nas unidades escolares até o dia 22 de dezembro, o que tem gerado muitas dúvidas e angústias dos servidores.

    Essa é mais uma mostra do descaso da gestão com os trabalhadores e da falta de diálogo com os sindicatos que os representam os trabalhadores. As dúvidas têm permeado o trabalho dos servidores desde o início da pandemia e mesmo com a insistência do Sindicato que desde junho está tentando agendar uma reunião, que poderia ser em ambiente virtual, a SME desmarcou todos os encontros que chegaram a ser marcados. Hoje a SME ficou de avisar sobre uma nova data para reunião. O SISMUC continua cobrando para que a reunião aconteça o quanto antes.

    Sem uma orientação clara sobre os procedimentos de trabalho neste período de pandemia, os servidores têm recebido orientações diferentes nos locais de trabalho, o que tem gerado muitas dúvidas. Não há uma orientação padrão que esteja ocorrendo nas diferentes regionais e, por isso, são inúmeras questões que afligem os servidores enquanto a SME não houve as reivindicações da categoria.

    Após muitas tentativas, no final do primeiro trimestre da pandemia houve uma reunião entre o SISMUC e SME que conseguiu sanar algumas dúvidas, mas diante da continuidade da pandemia, outras questões surgiram sem que a SME se sensibilizasse para as questões dos trabalhadores.

    Trabalho presencial no fim do ano letivo

    A convocação dos servidores para trabalho presencial neste final de ano, com a vigência da bandeira laranja de alerta para Covid-19 gerou mais dúvidas ainda, pois muitos equipamentos nem escala estão fazendo para promover um rodízio de servidores no trabalho presencial.

    As escolas e CMEIs estão abertas para matrículas até o dia 18 de dezembro, após essa data os servidores estarão fazendo plantão presencial nos equipamentos até o dia 22. Mas qual a necessidade se foram nove meses de trabalho remoto?

    O Ministério Público do Trabalho recomendou que a Prefeitura suspendesse as atividades não essenciais do serviço público, porém, mesmo assim a atual gestão prefere colocar em risco os servidores e suas famílias.

    Neste período de pandemia, a entrega de equipamentos de proteção individual (EPIs) também não aconteceu como deveria, havendo diferença na entrega de EPI conforme a categoria, apesar de estarem em um mesmo ambiente de trabalho. Em alguns locais, alguns trabalhadores nem receberam máscaras, por exemplo, enquanto outros sim.

    São dúvidas de professores de educação infantil, auxiliares de servidores escolares e agentes administrativos da Educação que chegam até o sindicato, sem que a gestão se sensibilize para a situação.

    Não aceitaremos este descaso! É preciso ouvir os trabalhadores que conhecem a realidade do serviço na ponta para melhorar o atendimento e adequar as condições de trabalho para os servidores.

    Imprensa SISMUC
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS