Notícias

Imprimir
  • 19/09/2019 Na Pauta

    Servidores das categorias de educação relatam as dificuldades de trabalho nos equipamentos

     Servidores das categorias de educação relatam as dificuldades de trabalho nos equipamentos
    Repórter da base
    Durante coletivos servidores apresentaram os principais problemas que enfrentam nos locais de trabalho. A falta de servidores é uma reclamação de todos

    A chuva de granizo e ventos fortes da quarta-feira (18) não intimidaram os professores de educação infantil e profissionais do apoio pedagógico que participaram dos coletivos das categorias, na sede do sindicato. A falta de condições de trabalho, a não recomposição das equipes e falta de valorização dos profissionais está atingindo o conjunto da categoria que não vê diálogo com a gestão do prefeito Rafael Greca. A direção do sindicato apresentou a Campanha de Lutas 2019 - A União faz a força e destacou a importância dos servidores se mobilizarem para barrar os ataques da gestão.

    A má qualidade da alimentação escolar, com quantidade insuficiente e/ou produtos estragados, foi uma das primeiras reclamações apresentadas pelos servidores. O SISMUC lembrou que as reclamações devem ser formalizadas no Conselho de Alimentação Escolar ou no próprio sindicato, para mapear o problema. Foi também destacada a importância de denunciar irregularidades junto ao Conselho Municipal de Educação, pois o Conselho tem a obrigação de fiscalizar e resolver o que está errado e já tivemos vitória em denúncias apresentadas pelo SISMUC. Sobre a nova proposta de currículo da educação infantil, o sindicato esclareceu que o documento fala sobre tudo que os professores já fazem nos CMEIs e que é preciso lutar pelas condições para realizar as propostas.

    Com relação ao trabalho voluntario nos finais de semana, o departamento jurídico esclareceu que não está previsto na legislação e é um desvio de função. As professoras e demais trabalhadores dos equipamentos devem se unir para cobrar as obras de revitalização da Prefeitura. Sobre as licenças-prêmio, o jurídico explicou que a Prefeitura tem liberdade para dizer quando o servidor pode tirar e que existem prioridades para quem vai se aposentar, tem mais tempo de serviço, tem viagem marcada e comprovada, doenças graves, etc, e por isso não é viável exigir juridicamente que a administração conceda a licença. Foi lembrado que as licenças vencidas podem ser pagas em pecúnia pela Prefeitura ao se aposentarem ou caso peçam exoneração.

    Ainda sobre eleição de diretores para CMEIs, questionado pela categoria, o sindicato esclareceu não há vontade política da gestão.

    Foi encaminhado que o sindicato vai enviar ofício para administração municipal para saber sobre as contratações PSS, pois há falta de servidores e a Prefeitura disse que a contratação precária iria resolver o problema. Também foi tirada a proposta para realização de um seminário sobre educação infantil, provavelmente em dezembro, para tratar sobre leis, decretos, normativas, deliberações, assédio moral, condições de trabalho e o novo currículo da educação infantil.

    Assistente pedagógico

    No coletivo sobre a carreira de professor de educação infantil em assistência pedagógica, foi esclarecido que passa a ser um novo plano de carreira a partir do decreto nº 1.114. Todas atribuições do novo cargo devem respeitar o Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) e as restrições laborais. Servidoras presentes na reunião relataram o assédio moral de chefia e até de colegas de trabalho que não respeitam as restrições. O sindicato já está acompanhando alguns casos desse tipo de situação e alertou que as servidoras não devem descumprir o ASO pois assumem total responsabilidade caso ocorra algum acidente. Caso as chefias insistirem em manter o profissional com restrição em sala de aula devem registrar em ata e chamar o sindicato.

    Auxiliares e agentes administrativos

    Os auxiliares de serviços escolares e agentes administrativos estão sobrecarregados e sem reconhecimento. Em coletivo das categorias realizado no dia 13 de setembro, os agentes relataram que sofrem ameaças caso ocorra algum erro em matrículas e não recebem gratificação pela responsabilidade de toda documentação que está sendo colocada para categoria. Também houve relato de Regionais onde as chefias estão sendo orientadas a abrir todos os armários de servidores das escolas municipais, em flagrante afronta aos direitos individuais. Foi encaminhada a formação de um grupo de estudo para analisar e sugerir mudanças no descritivo das funções de agentes administrativos e auxiliares de serviços escolares que deve começar os trabalhos após o recesso escolar.

    No próximo dia 26 de setembro acontece o coletivo dos aposentados e em outubro haverá negociações da data-base dos servidores, transferida por Greca para 31 de outubro. As reivindicações serão tiradas durante assembleia no próximo dia 25 de setembro, na sede do sindicato, às 18h30. Convide seus colegas de trabalho e participe! Só a união do conjunto da classe trabalhadora poderá barrar a agenda de retrocessos e desvalorização colocada pela gestão Greca.

    Imprensa SISMUC
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS