Notícias

Imprimir
  • 11/01/2021 Geral

    Após denúncia dos trabalhadores, UPA Sítio Cercado teve adequação para atendimento de Covid-19

    Após denúncia dos trabalhadores, UPA Sítio Cercado teve adequação para atendimento de Covid-19
    Arte: Ctrl S
    Até dezembro, servidores tinham que deslocar na mão os cilindros de oxigênio. Prefeitura começou a fazer obras nas UPAs para adequar a entrada de oxigênio

    Após pressão dos servidores, a Prefeitura começou a instalar nas paredes de unidades de pronto atendimento (UPAs) entradas de oxigênio para atendimento de pacientes com Covid-19. No último mês de dezembro, servidores da UPA Sítio Cercado denunciaram a situação caótica e insalubre na unidade, devido às dificuldades para atendimento da população, incluindo a falta de equipamento adequado para o transporte dos cilindros de oxigênio.

    Foi após a reclamação de trabalhadores do local que realizou a abertura de 32 entradas para oxigênio. Com isso os servidores e servidoras não precisam mais deslocar na mão o cilindro dentro da unidade para repor o material, como acontecia antes. A obra também está sendo feita em outros equipamentos como a UPA Cajuru, Boqueirão e Tatuquara. 

    Diferente do que a Prefeitura vem propagando, as unidades não têm estrutura suficiente e somente após denúncias dos trabalhadores é que o ambiente de trabalho está sendo adequado – e ainda resta muito a ser feito. Isso nove meses após o decreto municipal de emergência para combate e enfrentamento ao novo coronavírus! Vimos mais agilidade da administração municipal em garantir recursos para as empresas que operam o transporte público da cidade, do que para adequação das unidades de saúde.


    Sobrecarregada

    A UPA Sítio Cercado viu a procura por atendimento aumentar após o fechamento da UPA Boqueirão, que está com o atendimento exclusivo para pacientes de Covid-19. Sem planejamento e sem garantir os insumos e condições de trabalho para as demais unidades da rede municipal, a PMC anunciou o fechamento sem garantir o atendimento para outras doenças. Com isso, as pessoas passaram a procurar outras unidades para atendimento.

    O fechamento das UPAs Boqueirão e Fazendinha, aconteceu com a desculpa de reordenamento da saúde para abertura de mais leitos de Covid-19. O que chama atenção é que a Secretaria Municipal de Saúde só se preocupou com isso após a reeleição do desprefeito Greca. Esse tipo de manobra escancara a falta de políticas públicas para o enfrentamento da pandemia!

    Ainda são necessárias mais contratações de profissionais, o chamamento dos trabalhadores da enfermagem que passaram no último concurso público, a ampliação dos leitos para Covid-19 através de hospitais de campanha, a reabertura imediata das UPAs, além de medidas eficazes para o controle da doença, como o lockdown (clique para assinar o abaixo-assinado).

    É com a união e a mobilização dos trabalhadores que garantimos melhores condições de trabalho! É preciso valorizar os trabalhadores e dar condições adequadas de trabalho!

    Se a administração não tem respeitado medidas para manutenção da saúde dos trabalhadores, entre em contato com os Sindicatos pelo Fala, Servidor no WhatsApp (41) 99661-9335. Vamos fazer pressão na atual gestão para que possamos garantir condições adequadas de trabalho em meio à pandemia!

    Imprensa SISMUC
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS