Notícias

Imprimir
  • 13/11/2020 Geral

    Beto Moraes presta depoimento no Conselho de Ética

    Beto Moraes presta depoimento no Conselho de Ética
    Arte: CTRL S
    Na reta final das eleições municipais, Beto Moraes responde denúncia por desrespeitar o Código de Ética e Decoro

    O Vereador Beto Moraes (PSD), assim como alguns de seus colegas na Câmara Municipal de Curitiba que tentam censurar os sindicatos, entrou na Justiça para suspender as investigações sobre as denúncias apresentadas pelos Sindicatos sobre compra de voto e o uso de funcionários de seu gabinete para entrega de prêmios. No entanto, a tentativa de não prestar esclarecimentos e de calar os Sindicatos foi negada. O vereador teve que comparecer à reunião do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar nesta sexta-feira (13) para testemunhar sobre o processo.

    Apesar de ter sido confrontado com todas as evidências na denúncia apresentada pelo SISMMAC e SISMUC, Beto Moraes negou a presença de membros de seu gabinete nas imagens. O documento da denúncia mostra mais de 40 situações que indicam que o vereador Beto Moraes usou o cargo e os assessores pagos com dinheiro público para autopromoção e compra de votos.

    Um dos servidores que aparece nas fotos foi chamado para testemunhar, mas não apareceu na audiência. A defesa de Beto Moraes apresentou um atestado médico justificando a ausência do servidor. No entanto, não constava a Classificação Internacional de Doenças (CID) no documento, então o atestado não foi aceito.

    A reunião desta sexta-feira (13) marcou a finalização da instrução do processo. Isso significa que as testemunhas foram ouvidas e as provas apresentadas. Agora, o processo será encaminhado ao corregedor da Câmara Municipal, o vereador Mauro Ignácio (DEM), para análise. Após a manifestação do Corregedor, a defesa de Beto Moraes apresentará suas alegações finais. Na sequência, o processo volta para a Conselho de Ética para que seja decidida a pena a ser aplicada.

    A pressão continua

    O SISMUC e o SISMMAC, em conjunto com o departamento jurítico, têm acompanhado todas as reuniões e depoimentos do processo e vamos continuar atentos! Apesar das tentativas de calar a denúncia dos sindicatos, a investigação contra o vereador segue na Câmara e é preciso intensificar a pressão para que o processo seja analisado com seriedade pelo Corregedor e pelo Conselho de Ética. Vereador que usa o dinheiro público para se autopromover merece perder o mandato!

    Pelo Regimento Interno da Câmara, o Corregedor tem dez dias úteis para se manifestar. Em seguida, abrirá um prazo de 15 dias para a defesa.

    Relembre a denúncia

    A denúncia apresentada pelos sindicatos reúne fotos de mais de 40 situações em que o vereador Beto Moraes usou o cargo e os assessores pagos com dinheiro público para autopromoção. As fotos comprovam que o vereador e seus assessores distribuíam cestas básicas, muletas, cadeiras de roda, bicicletas e outros brindes com a identificação do nome, foto pessoal e até a logomarca do vereador. Além da utilização indevida da estrutura legislativa para fins eleitorais, as fotos comprovam a prática da velha política da troca de favores por votos, o que poderia ser enquadrado como compra de voto e crime eleitoral. Entretanto, em uma manobra da base aliada do desprefeito Rafael Greca, a denúncia por compra de votos não foi aceita no Conselho de Ética. Atualmente, Beto Moraes é investigado por desrespeitar os prazos regimentais ao entregar uma premiação em período eleitoral.

    Imprensa SISMUC e SISMMAC
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS