Notícias

Imprimir
  • 30/06/2020 Geral

    Vereadores comprometidos com Greca votam contra os servidores

    Vereadores comprometidos com Greca votam contra os servidores
    Arte: Ctrl S
    A base do prefeito garantiu os ataques ao funcionalismo municipal durante a pandemia e em sessão remota

    Os vereadores da base do desprefeito Rafael Greca são mesmo comprometidos com a gestão. Sem debate e às pressas, aprovaram o aumento da alíquota que os servidores pagam para a aposentadoria e autorizaram a administração a suspender o repasse de sua contribuição para o Instituto de Previdência Municipal de Curitiba (IPMC). A base do prefeito garantiu a aprovação desses ataques em uma sessão remota, realizada às vésperas do recesso parlamentar e em plena pandemia, período de muitas incertezas para toda sociedade.

    A aprovação da alíquota de 14% dá continuidade ao ataque iniciado com o pacotaço em 2017. Na votação na Ópera de Arame, além de ter congelado os planos de carreira e autorizado a retirada ilegal de R$ 695 milhões do IPMC, os vereadores aprovaram o aumento progressivo da alíquota do IPMC, que passou de 11% em 2017 e chegaria a 14% em 2023. Mas Greca escolheu aumentar para 14% em 2020, pegando carona na Reforma da Previdência de Bolsonaro. E com a desculpa da pandemia, o prefeito pediu para não fazer a contribuição devida, o que foi aprovado pelos vereadores.

    Vereadores rejeitaram o impeachment do Greca

    Os vereadores votaram nesta terça-feira (30), na última sessão antes do recesso de julho, o pedido de impeachment do prefeito Rafael Greca baseado em uma denúncia de infração política administrativa. O pedido foi apresentado pelo advogado Pierre Lourenço, sob a alegação de irregularidades durante a pandemia do coronavírus. Entre as denúncias, está a falta de justificativa e de comprovação de prejuízo no auxílio extra para as empresas do transporte público; além da propaganda enganosa feita pela administração na promessa de disponibilizar mil leitos para atender pacientes com Covid-19.

    Conforme parecer jurídico da Câmara Municipal de Curitiba, o andamento da denúncia tinha que ser votado pelo plenário. A oposição tentou que a votação fosse nominal, mas acabou sendo simbólica. Foram 27 votos contra o prosseguimento da denúncia e apenas nove favoráveis, dos vereadores: Cacá Pereira, Dalton Borba, Marcos Vieira, Maria Letícia, Mestre Pop, Noemia Rocha, Professor Euler, Professora Josete e Professor Silberto.

    A suspensão da contribuição patronal e do pagamento de outras dividas que a Prefeitura tem com o IPMC coloca em risco o pagamento futuro de novas aposentadorias. Nos últimos três anos, a previdência dos servidores foi alvo de sucessivos ataques com apoio dos vereadores da base do prefeito.

    O líder do prefeito na Câmara, vereador Pier Petruzziello, deixou claro seu autoritarismo durante a sessão, com mais um ataque aos servidores municipais, que se manifestaram na frente da CMC e na sessão virtual.

    Os servidores públicos municipais não assistiram calados e deixaram claro o seu repúdio durante a sessão. Foram mais de três mil comentários, a maioria expressando a vergonha da votação feita às pressas, outros com pedidos de fora Greca, fora Pier e fora outros vereadores aliados do desprefeito, além da defesa dos servidores.

    Precisamos estar atentos para não reeleger quem tira direitos dos servidores!

    Os servidores não vão esquecer de mais esse ataque! Vaza, Greca! O pior prefeito de Curitiba!

    Imprensa SISMUC SISMMAC
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS