Notícias

Imprimir
  • 31/03/2016 Geral

    Câmara aprova reajuste de 10,36% em parcela única

    Câmara aprova reajuste de 10,36% em parcela única
    Índice está abaixo do reajuste da tarifa técnica concedida a empresários do transporte.

    Com informações da Câmara Municipal - A Câmara Municipal aprovou, em primeira votação, o reajuste de 10,36% do salário dos servidores municipais. Pelo menos 40 mil profissionais devem ter seus salários reajustados em abril. A segunda votação ocorre nesta sexta-feira e deve seguir para sanção do prefeito Gustavo Fruet. O reajuste ocorre em parcela única e corrigi os salários conforme o Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA). O reajuste está abaixo do pedido pelos servidores municipais de 15% e abaixo do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) de 12%, utilizado para corrigir, por exemplo, a tarifa técnica do transporte coletivo, subindo para R$ 3,66 retroativos a fevereiro.

    Outras emendas aprovadas

    - Adequação da Lei da licença para tratamento de dependente com renda;
    - Prorrogação da licença legais, entre elas maternidade, quando findada no período de férias coletivas da educação.
    - Adequação na Lei de redução de carga horário para o servidor responsável por pessoa com deficiência.
    - Emenda que suprimiu a mudança de nomenclatura dos polivalentes para manutenção, para adequação de texto e carreira, conforme debatido com o sindicato

    Emendas Rejeitadas

    - Duas emendas visavam garantir isonomia entre todas as categorias estatutárias. A ideia era criar condições iguais de direitos e garantir a remuneração integral dos servidores e não apenas os vencimentos como ocorrem com o magistério. “Para o servidor, a licença prêmio é negada se tem afastamento para tratamento de saúde acima de noventa dias dentro do prazo de cinco anos”, explicou a vereadora Josete.
    Contudo, as emendas foram negadas pela Câmara dos Vereadores, negando a isonomia entre os trabalhadores municipais. “Com isso, a Prefeitura diz, nas entrelinhas, que professores têm direito a ficar doentes. Já os demais servidores não podem, como se estar doente fosse uma opção da pessoa”, explica a coordenadora do Sismuc Irene Rodrigues.
    - Abona das greves da educação e saúde (veja matéria específica)
    O índice será aplicado aos vencimentos dos servidores públicos da Câmara, da administração direta, autarquias e fundações municipais de direito público, a título de revisão anual. Da mesma forma, aplica-se ao reajuste dos proventos de aposentadoria e pensões, e ainda à remuneração dos contratados sob o regime da lei 8.377, de 18 de março de 1994.

    O reajuste incidirá também sobre gratificações e adicionais diversos e valores das funções gratificadas e cargos em comissão não sujeitos ao regime remuneratório por subsídio. A partir de 1º de maio de 2016, ficam reajustados ainda os valores dos subsídios do procurador-geral do Município e secretários municipais em 10,36%.

    O aumento não se aplica ao prefeito Gustavo Fruet e aos vereadores, segundo Paulo Salamuni: “Os salários do prefeito e dos vereadores vão ficar congelados, sendo votado na mesma lei”, explicou o líder do governo.

    Manoel Ramires
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS