Notícias

Imprimir
  • 08/10/2020 Geral

    Fala, Servidor: sala improvisada para covid-19 em US coloca servidores e pacientes em risco

    Fala, Servidor: sala improvisada para covid-19 em US coloca servidores e pacientes em risco
    Arte: Ctrl S
    Mudança do atendimento para casos com coronavírus para sala sem ventilação adequada preocupa servidores da UBS Vila Leonice

    Passados quase sete meses desde que foi decretado o estado de emergência em saúde pública para enfrentamento e combate ao novo coronavírus, em muitos equipamentos municipais os servidores ainda correm risco de contaminação em função da falta de condições de trabalho. É o equipamento de proteção individual que não chega, ou não é reposto; é o prédio que não tem infraestrutura para promover medidas de proteção coletiva ou chefias que chegam alterando situações que não melhoram o atendimento.

    Esta semana o Sindicato recebeu a denúncia de uma situação na Unidade Básica de Saúde (UBS) Vila Leonice, sobre a mudança no atendimento para Covid-19. Há cerca de um mês a unidade teve troca de chefia e quem assumiu mudou a sala de atendimento para os casos de Covid-19. Foi uma mudança que piorou as condições de trabalho para os servidores, pois passaram a atender em uma sala sem ventilação, sem espaço para promover o distanciamento social e arranjada no fundo da unidade. Com a mudança, os servidores precisam gritar para chamar os pacientes ou os próprios colegas para fazer coleta e atendimento, que ficam distantes cerca de cinco metros da sala.

    O problema apontado pela nova chefia era que os pacientes assintomáticos e os sintomáticos estavam se misturando no pátio da unidade. Com a mudança, o problema continua ocorrendo – mesmo com orientação dos servidores para manter o distanciamento. Até a mudança de chefia acontecer, o atendimento estava organizado em duas salas, com espaço e ventilação, localizadas na entrada da unidade. Agora, os servidores estão em uma sala minúscula correndo risco ainda maior de infecção.

    É mais um exemplo das chefias que querem promover mudanças sem se importar com os trabalhadores, e do descaso da gestão do desprefeito Rafael Greca que não cumpre as próprias orientações para evitar o aumento de casos de Covid-19.

    Se as condições de trabalho dos servidores já vinham sendo precarizadas antes da pandemia, com a nova realidade a situação ficou mais grave, tendo em vista que é na rede pública de saúde que a maioria da população tem procurado atendimento para Covid-19.

    Com uma gestão autoritária os servidores estão se sentindo pressionados e vendo suas condições de trabalho serem pioradas a cada dia. Preocupado com a reeleição, Greca tem deixado os servidores à mercê da própria sorte!

    Devido à falta de diálogo da gestão com os trabalhadores, o SISMUC tem enviado ofícios para Prefeitura para esclarecer as denúncias que chegam até o sindicato, além de levar as situações ao conhecimento do Ministério Público do Trabalho e a diferentes espaços de debates.

    Seguimos firmes na defesa dos trabalhadores! Vaza, Greca e a bancada do pacotaço. Francischini, nem pensar!

    Imprensa SISMUC
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS