Notícias

Imprimir
  • 28/09/2021 Na Pauta

    Greca garante lucro de empresários do transporte com ajuda milionária

    Greca garante lucro de empresários do transporte com ajuda milionária
    Crédito: Ricardo Yto
    Enquanto Prefeitura usa o dinheiro público para atender demandas do empresariado, servidores lutam contra desvalorização

    O desprefeito Greca e os vereadores aliados continuam bancando o lucro dos grandes empresários do transporte com o dinheiro do trabalhador, mantendo a passagem cara e frota reduzida. Nesta segunda-feira (27), por 23 votos a 11, a Câmara Municipal aprovou em primeira sessão a prorrogação do modelo emergencial com repasse de verbas públicas para as concessionárias de ônibus até fevereiro de 2022 – auxílio que já vem sendo praticado desde o primeiro semestre do ano passado.

    A aprovação significa que, mais uma vez, o dinheiro pago pela população em impostos será repassado para cobrir as dívidas dos empresários. E não é pouca verba! Já foram repassados R$ 286 milhões às empresas e a estimativa é de mais R$ 120 milhões em aportes. O montante, inclusive, seria o suficiente para descongelar o Plano de Carreira dos servidores e atender à reivindicação de reajuste salarial.

    Uma das cláusulas do projeto prevê que o novo regime emergencial pode ser retroativo até o início da pandemia. Ou seja, o texto deixa aberta a possibilidade de que a gestão reveja repasses feitos anteriormente e possa inclusive ampliá-los.

    Durante a sessão que discutiu o projeto, foram propostas dez emendas. Somente a emenda que propõe que o município assuma dívidas feitas pelas empresas para renovar a frota de ônibus da cidade foi aprovada.

    Por outro lado, foram recusadas emendas apresentadas por vereadores da oposição e que seriam importantes para a população, como o retorno de 100% de circulação da frota para reduzir aglomerações, fiscalização dos indicadores de qualidade do transporte coletivo e fiscalização dos repasses, além de propostas de contrapartidas das empresas. Também foi derrubada a cláusula vigente no regime emergencial anterior que proibia a demissão dos trabalhadores do transporte público sem justa causa.

    E o pior é que, mais uma vez, a aprovação de uma matéria que é de interesse direto da população foi aprovada às pressas, sem a adequada discussão. O projeto volta para votação em segundo turno em sessão extraordinária nesta quarta-feira (29), às 14h.

    Enquanto isso, para os servidores...

    Mas, se o desprefeito faz de tudo para agradar os empresários do transporte público, os servidores e servidoras municipais não têm os mesmos privilégios e vivenciam uma séria onda de ataques.

    É só lembrar que neste mês, a gestão suspendeu o reajuste de 3,14% concedido em 2020 aos servidores. Os sindicatos entraram na justiça contra a medida e conseguiram uma liminar que determina que a Prefeitura continue pagando o reajuste, inclusive do valor referente a setembro em folha suplementar. Até o momento, a Prefeitura não recorreu da decisão, e os servidores estão no aguardo do pagamento. Os sindicatos seguem acompanhando o tema, que tem sido motivo de apreensão dos servidores e servidoras.

    Outro grave ataque é a proposta de Greca para adoção da Reforma da Previdência em Curitiba, seguindo os moldes da desumana reforma de Bolsonaro e Guedes. A admissibilidade da proposta será debatida nesta quinta-feira (30) na reunião da Comissão Especial de revisão da Lei Orgânica, quando os vereadores vão decidir se a Reforma da Previdência de Greca deve ou não tramitar na Câmara Municipal. Veja como enviar mensagens e e-mail aos vereadores que compõem a comissão cobrando o voto contrário e ajude a mostrar a indignação dos servidores desde os primeiros passos da tramitação desse ataque!

    Além das alterações na Previdência, Greca também já protocolou na Câmara um PL que institui o Programa de Gestão de Desempenho Funcional (PGDF) para os servidores municipais e propõe dois sistemas de avaliação: a funcional, para todos os servidores, e a funcional especial – que é dedicada para aqueles em estágio probatório. Na prática, o projeto tem o objetivo de estabelecer formas de meritocracia e perseguição no ambiente de trabalho.

    E a desvalorização não para por aí. A educação enfrenta incertezas e inseguranças com relação ao combate à pandemia, já que gestão autorizou o retorno de 100% dos alunos da rede municipal de ensino a partir desta semana. No entanto, a decisão ignora a realidade da maioria das escolas e CMEIs, onde não é possível seguir as regras de distanciamento previstas pelo próprio protocolo da Prefeitura.

    O resultado de uma sucessão de governos que desvalorizam os servidores municipais é sentido no bolso pelo funcionalismo. As perdas salariais dos servidores municipais de Curitiba já passam de 30% para os servidores do quadro geral e de 19% para o magistério.

    Diante desse cenário, uma nova assembleia unificada acontece nesta quinta-feira (30) pela correção da inflação, pela recuperação das perdas e contra os ataques, com primeira chamada às 19h e segunda chamada às 19h30.Para participar, faça uma breve inscrição em: https://bit.ly/AssembleiaDataBase

    Imprensa SISMUC SISMMAC
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS