Notícias

Imprimir
  • 24/06/2020 Na Pauta

    Fala, servidor: casos confirmados avançam entre os servidores

    Fala, servidor: casos confirmados avançam entre os servidores
    Arte: CTRL S
    Casos recentes confirmados na SMELJ e na FAS mostram que a gestão ainda falha nas medidas de proteção dos servidores

    Infelizmente, os casos de coronavírus avançam entre os servidores municipais. Esta semana, o SISMUC recebeu denúncias de casos confirmados na Secretaria Municipal de Esporte Lazer e Juventude (SMELJ) e na sede da Fundação de Ação Social (FAS).

    Na SMELJ, foram cinco casos confirmados além de outro  que, segundo relato de servidor, aguarda o resultado do exame. A preocupação dos trabalhadores do equipamento na Rua Solimões é que este é um espaço que reúne trabalhadores de mais de uma secretaria, compartilhando ambientes em comum e, portanto, com potencial para que o vírus se espalhe.

    Mesmo com as confirmações, a denúncia dos servidores que trabalham no mesmo prédio é da falta de medidas administrativas para proteger a vida e a saúde dos servidores. Não foram realizados testes em massa entre trabalhadores que tiveram contato próximo com os contaminados, tampouco foi adotada escala efetiva ou afastamento dos servidores para evitar que o vírus se propague.

    Com vários trabalhadores compartilhando o mesmo espaço e tendo como única forma de proteção a máscara de pano e o álcool em gel, é fácil imaginar o potencial de ter um surto de coronavírus nesse equipamento.

    Outro setor da Prefeitura em que os casos aumentam a cada dia é a FAS. Já foram denunciados os casos de servidores contaminados em CRAS e em liceu. Agora, os casos chegaram também na sede da FAS. De acordo com denúncia dos servidores, houve dois casos confirmados, um no patrimônio e outro no almoxarifado. A situação é preocupante também para os riscos de que o vírus se espalhe para os demais setores, já que muitos têm contato com o almoxarifado. E novamente não houve testes entre os demais trabalhadores do local.

    O SISMUC enviou um ofício à gestão cobrando também a divulgação dos números de servidores infectados.



    Falta de medidas de proteção

    Chama a atenção o relato de um dos servidores que entrou em contato com a vigilância sanitária para denunciar o descaso com que os trabalhadores estão sendo tratados e a resposta foi: basta usar máscara.

    No entanto, é importante destacar que, ainda que as máscaras de pano sejam importantes aliadas para reduzir os riscos de contágio, elas não eliminam totalmente os riscos, portanto, as medidas de afastamento e testagem em massa dos servidores são imprescindíveis.

    Além do mais, se os servidores fossem contar apenas com as máscaras disponibilizadas pela Prefeitura, estariam numa situação ainda pior. No caso da FAS, por exemplo, só receberam duas máscaras desde o início da pandemia, sendo que na realidade as máscaras precisam ser trocadas várias vezes ao dia para poder ter seu papel de proteção. E o pior de tudo, que na FAS, as próprias chefias foram vistas sem o uso de máscaras.

    Esses relatos se juntam a outros e deixam claro que a principal preocupação da gestão não é com a preservação da vida dos servidores. Por isso, é muito importante que os trabalhadores se unam e fortaleçam a luta por melhores condições de trabalho e de paralisação das atividades não essenciais.


Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS