Na Pauta

  • 01/06/2021 Na Pauta

    Projeto busca aproximar aposentados do sindicato

    Projeto busca aproximar aposentados do sindicato
    Arte: Ctrl S
    Ligações telefônicas são a primeira etapa do projeto de motivação e valorização dos trabalhadores aposentados

    A fim de estreitar o relacionamento dos servidores aposentados com o sindicato, o SISMUC iniciou a realização de um projeto voltado para a motivação e valorização desses trabalhadores que já dedicaram muitos anos de suas vidas à construção dos serviços públicos.

    O projeto teve início com ligações telefônicas que buscam aproximar os aposentados do sindicato. Com um grupo de 10 pessoas sob orientação de uma psicóloga, são realizadas 133 ligações diárias com o objetivo de contatar todos os servidores aposentados filiados ao SISMUC e entender suas demandas nessa fase da vida. Além da coleta de informações e atualização cadastral, o contato tem sido um momento importante de conversa e uma oportunidade para os aposentados poderem compartilhar dúvidas, angústias e sugestões.

    Velhice e aposentadoria no sistema capitalista

    A imagem de aposentadas e aposentados vivendo com saúde, qualidade de vida e aproveitando o tempo livre é bastante difundida em meios de comunicação e faz parte de um imaginário dessa fase da vida. Mas, será que essa é a realidade para a maioria dos aposentados e aposentadas?

    Infelizmente não. Na sociedade capitalista, o envelhecimento não traz ao sujeito a liberdade esperada. Muitas vezes os aposentados precisam continuar trabalhando para complementar sua renda, ou então, o desgaste com o trabalho durante a vida traz limitações como doenças ou esgotamento físico e mental. Essa realidade muitas vezes gera frustração.

    O envelhecimento, além do fator biológico, traz também um caráter social importante. A forma com que somos afetados com o passar dos anos é atravessada por questões como classe social, gênero e raça. Aprofundar a compreensão do envelhecimento na lógica capitalista, para quem os trabalhadores são tratados como máquinas que são deixadas de lado após cumprir seu tempo de uso, é o primeiro passo para romper com a frustração das expectativas.

    É importante também ressaltar que a perda da qualidade de vida na velhice diz respeito muito mais à falta de investimento por parte do governo do que nas escolhas individuais do sujeito. Justamente por isso, a organização dos aposentados enquanto categoria e a continuidade da participação da luta sindical é tão importante para avançar no debate e conquistar avanços na política para trabalhadores aposentados.

    O resultado do contato tem sido bastante positivo e demonstra a importância de ações como essa, capaz de fortalecer o vínculo dos trabalhadores com o sindicato e resgatar a noção de pertencimento desses trabalhadores às lutas da classe. Os aposentados e aposentadas já são fortemente afetados pela sociedade capitalista e pelas políticas governamentais que não garantem o investimento necessário para promover a saúde e a qualidade de vida dessa parcela da classe trabalhadora, mas a situação fica ainda mais desafiadora com a pandemia.

    Diante do coronavírus, o fator idade é um fator de risco para agravamento da infecção, e ainda que nem todos os aposentados sejam idosos, boa parte do grupo está acima dos 60 anos, o que exige que as orientações de isolamento social sejam seguidas com ainda mais rigor e aumenta a sensação de isolamento. Além disso, a solução tecnológica usada para grande parte das atividades atuais, muitas vezes aumenta o distanciamento, em vez de aproximar esse grupo. Isso porque, diferente das gerações que cresceram à frente de computadores, tablets e celulares, o mundo digital ainda é uma experiência de aprendizado e desbravamento para a maior parte dos aposentados.

    E além da importante tarefa de aproximar os aposentados do sindicato, o projeto também traz outros dois objetivos:

    .: O primeiro é a consolidação do coletivo de aposentados como um grupo, por meio da realização de atividadesque promovam uma conscientização de suas condições de trabalhadores aposentados.

    .: O segundo é a construção coletiva de materiais sobre os servidores municipais aposentados de Curitiba, para fortalecer a memória do grupo e das lutas da categoria, retomando as experiências de trabalho e mobilização abordadas nos encontros.

    Para atingir esses objetivos, a expectativa é a realização de encontros presenciais com o grupo dos aposentados, respeitando suas formas preferenciais de comunicação e socialização que não estão no ambiente digital.

    Mas, para que isso ocorra, é preciso ter a pandemia sob controle, para que as atividades sejam desenvolvidas com segurança. Por isso, reforçamos a luta por vacina, pelo auxílio emergencial e por medidas de restrição da circulação para salvar vidas.

    Imprensa SISMUC
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS