Na Pauta

  • 11/12/2020 Na Pauta

    Fala, Servidor: na UPA Sítio Cercado ambiente está cada vez mais caótico

    Fala, Servidor: na UPA Sítio Cercado ambiente está cada vez mais caótico
    Arte: Ctrl S
    Com o fechamento da UPA Boqueirão, UPA Sítio Cercado é sobrecarregada e não possui nem equipamento de saída de oxigênio

    A situação nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Curitiba tem se agravado a cada dia contribuindo para o esgotamento físico e mental dos servidores municipais. Após o fechamento das UPAs Boqueirão, Fazendinha e de 24 Unidades Básicas de Saúde (UBS), a situação nas demais UPAs da cidade se agravou, pois passou a atender os usuários das outras unidades. Com equipes reduzidas desde antes da pandemia, o aumento de casos de Covid-19 e sem investimento na melhoria das condições de trabalho, os servidores se sentem em um ambiente de caos e insalubridade.

    Após o fechamento da UPA Boqueirão, a situação na UPA Sítio Cercado ficou mais crítica. O atendimento do setor Covid-19, que deveria ser pra atender seis pessoas, já chegou a atender 27, sem condições de promover o distanciamento entre as macas e cadeiras e sem os insumos necessários. Ao contrário do que a Prefeitura vem propagando, as unidades não têm estrutura suficiente para o aumento do número de casos.

    A situação ainda se agrava porque o setor não tem equipamento de saída de oxigênio, são apenas dois suportes para soro, e só dois monitores. Em mais de uma ocasião acabou o oxigênio dos torpedos, e foi necessário dividir o equipamento entre os pacientes. Não há carrinhos para carregar os torpedos do almoxarifado até o local de atendimento, sobrecarregando os servidores que precisam dar um jeito na situação. Essa denúncia, assim como outras situações relatadas pelos servidores, vai ser levada ao Ministério Público do Trabalho (MPT). Afinal, o que a Prefeitura tem feito é desumano!

    Como trabalhar em um ambiente assim? Como salvar a vida da população? Como manter os trabalhadores ativos com essas condições? Essas são perguntas que a Prefeitura se recusa a responder! Não há equipamentos suficientes para atender os pacientes e o servidores tem recebido em troca pela sua dedicação, pressão e assédio moral.

    O fechamento das UPAs aconteceu com a desculpa de reordenamento da saúde para abertura de leitos exclusivos de Covid-19. O engraçado é que a Secretaria Municipal de Saúde só se preocupou com isso após a reeleição do desprefeito. Esse tipo de manobra escancara a falta de políticas públicas para o enfrentamento da pandemia!

    As UPAs não têm sequer banheiros e chuveiros suficientes para a quantidade de internamentos, fazendo com que a equipe de enfermagem precise se desdobrar ainda mais para realizar cuidados necessários. Isso sem falar da falta de servidores para atender os pacientes e da ausência de estrutura em todas unidades e leitos mais adequados.E mesmo assim, a Prefeitura tem preferido culpar a população pela alta dos casos Covid ao invés de garantir a estrutura necessária para atender a população e garantir condições de trabalho adequadas.

    São necessárias mais contratações de profissionais, o chamamento dos trabalhadores da enfermagem que passaram no último concurso público, a ampliação dos leitos para Covid-19 através de hospitais de campanha, a reabertura imediata das UPAs e, além disso, medidas eficazes para o controle da doença, como o lockdown. É preciso valorizar os trabalhadores e dar condições adequadas de trabalho!

    Se a administração não tem respeitado medidas para manutenção da saúde dos trabalhadores, entre em contato com os Sindicatos pelo Fala, Servidor no WhatsApp (41) 99661-9335. Vamos fazer pressão na atual gestão para que possamos garantir condições adequadas de trabalho em meio à pandemia!

    Imprensa SISMUC
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS