Na Pauta

  • 16/09/2020 Na Pauta

    Tira-dúvidas dos auxiliares de serviços escolares

    Tira-dúvidas dos auxiliares de serviços escolares
    Arte: CTRL S
    Inspetores podem ver aqui as perguntas mais frequentes sobre o trabalho remoto

    Na última quinta-feira (10), o Coletivo dos Auxiliares de Serviços Escolares se reuniu virtualmente para debater as condições de trabalho em meio à pandemia. É consenso entre os servidores que participaram do espaço que a única forma de retorno seguro é com acesso a vacina. Afinal de contas, se a Prefeitura vem falhando na aplicação de protocolos durante o trabalho remoto, o que garante que irão assegurar a saúde dos trabalhadores e da comunidade se as aulas retornarem?

    A falta de protocolos, ou a confusão entre eles, tem deixado na mão das chefias a organização dos servidores. O problema é que muitas vezes isso abre espaço para assédio moral, ou tratamento diferenciado nos locais de trabalho. Por isso, é importante que os servidores conheçam seus direitos e procurem o Sindicato caso as determinações da administração não estejam sendo respeitadas pelas chefias.

    Veja as perguntas e respostas que preparamos para os inspetores:

    Preciso assistir as aulas online? Até mesmo as de sábado?

    Na instrução normativa Nº 2 – que estabelece as orientações para realização das atividades pedagógicas – os auxiliares de serviços escolares não são citados. Porém, a Prefeitura tem colocado para estes profissionais a mesma responsabilidade dos professores de apoios escolares e administrativos.

    Sendo assim, o que cabe aos inspetores é apenas acompanhar o desenvolvimento das videoaulas, de segunda a sexta-feira, observando possibilidades DENTRO da sua área de atuação. Ou seja, as atividades dos sábados não devem ser acompanhadas. Além disso, os inspetores devem realizar as atividades propostas pela direção e preencher o formulário de avaliação.

    Entre em contato com o Sindicato por meio do Fala, Servidor:

    (41) 99661-9335
    É importante destacar que este trabalho NÃO DEVE ser feito fora do horário normal de trabalho dos servidores. Ou seja, a chefia não pode exigir que os servidores realizem atividades extras fora do horário de trabalho.

    Mas as mensagens no grupo do WhatsApp não param, preciso responder?

    Não, os trabalhadores não são obrigados a responder. Os grupos têm facilitado a comunicação nas unidades escolares, porém a carga horária de trabalho deve ser respeitada e as mensagens não devem ser respondidas após o horário de trabalho.

    Como deve funcionar o revezamento de funcionários no trabalho presencial?

    De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (SME), o trabalho presencial, como na entrega dos kits, deve ser realizado por todos os trabalhadores, desde que estes não estejam no grupo de risco. A chefia, portanto, não deve realizar distinções entre as categoriais. Afinal de contas, o revezamento não é uma mera formalidade, mas tem como objetivo garantir a vida e a segurança de todos os trabalhadores.

    Os inspetores devem participar do Conselho de Classe?

    De acordo com a Instrução Normativa Nº 5, somente os professores e a equipe gestora (diretor, vice-diretor e pedagogos) devem participar dos Conselhos de Classe. Porém, caso os demais profissionais entendam que podem contribuir para este espaço, podem participar. Lembrando que todas as reuniões devem ser anotadas na planilha, justamente para que não seja realizado trabalho após o horário final do expediente.

    Imprensa Sismuc
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS