Opinião

  • 22/05/2018

    Qual amor te move?

    Qual amor te move?
    Reprodução de quadro de Eugène Delacroix, a Liberdade Guiando o Povo
    O fato é que, gostem ou não, da origem à ideologia de fato, do discurso à prática, o que diferencia a direita da esquerda é o que move ambos

    É comum hoje ouvirmos falar em fulano é de esquerda, cicrano é de direita e beltrano é de centro. O que talvez não seja de conhecimento de todos é que os termos esquerda e direita surgiram na Revolução Francesa, em 1789 onde, quem estava à direita do plenário (girondinos) , passou a representar o lado conservador, que pretendia manter o poder da elite e buscar medidas de gerar o bem estar individual.Já quem estava à esquerda do plenário ( jacobinos ) reivindicava o fim dos privilégios, eram favoráveis à luta pelos direitos e o bem estar coletivo.

    O relato acima é superficial,sem a pretensão de se aprofundar inclusive no fato de que ambos, girondinos e jacobinos, iniciaram a revolução do mesmo lado como “revolucionários”, mas o bastante apenas para citar a origem terminológica de esquerda e direita. Porém, muito distante da compreensão da origem da polarização entre BEM x MAL, EXPLORADOS x EXPLORADORES, MOCINHOS x BANDIDOS, ESQUERDA x DIREITA.

    O bem e o mal parecem dois opostos claros e distintos, mas na verdade são dois estados, duas percepções diferentes que temos. São o que nos tornamos ao longo de toda a nossa vida, valores, crenças adquiridos espontânea ou imposta pela realidade de cada um.Onde definimos o bem e o mal, de cada um?

    Existe uma guerra, não tão invisível, mas silenciosa nos dias de hoje.Jovens pobres, desempregados, sem cultura, sem lazer e sem esperanças, são presas fáceis do crime organizado. Esses são os jovens negros, executados, que aparecem nas midias para satisfazer a classe média paneleira (a mesma que apoiou e sustentou o golpe de 64, aplaudindo a cada desaparecimento de um “esquerdista” nos porões da ditadura). Esses são os rotulados como maus, bandidos e a escória da sociedade.

    Aqueles que a esquerda defende.

    A periferia enfrenta diariamente a guerra patrocinada pelo tráfico e pelas organizações criminosas e uma guerra ainda mais cruel, a patrocinada pelo Estado. O Estado que se vale do sistema legal, do sistema judicial, do sistema prisional , que usa as milícias travestidas de policiais, também constituídas de pobres, para reprimir e matar os jovens negros de comunidades. É um sistema brutal de repressão, perseguição e guerra.

    Quem nos deu o poder de definir entre o certo e o errado?

    Quem nos rotulou como gente de bem ou gente do mal?

    Quem nos define somos nós. E o que nos define não são os rótulos, mas as ações.

    Conheço muitos rotulados de direita com um coração imenso e muitos discursos de esquerda com práticas fascistas, machistas e homofóbicas.

    O fato é que, gostem ou não, da origem à ideologia de fato, do discurso à prática, o que diferencia a direita da esquerda é o que move ambos. O primeiro é movido pelo interesse individual, o segundo pelo coletivo.Um é movido por amor próprio o outro por amor à humanidade.Qual é o amor verdadeiro? Qual amor te move?

    Adriana Kalckmann
Ver índice de opinião
Adriana Kalckmann #@titulo@#

Coordenadora do Sismuc

Últimos Artigos do Autor

Ver todos os artigos desse autor

Artigos Relacionados

Nenhum registro encontrado.

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Monsenhor Celso, 225, 9º andar. Conjunto 901/902 - Centro. Curitiba- PR. Cep: 80010-150     Fone/Fax: (41) 3322-2475     E-mail: sismuc@sismuc.org.br

DOHMS