Notícias

Imprimir
  • 24/10/2018 Saúde

    Mobilização dos servidores barra o fechamento da UPA Pinheirinho

    Mobilização dos servidores barra o fechamento da UPA Pinheirinho
    Foto: Repórter da base
    Gestão Greca propõe mais um ato de descaso com a saúde e pressão dos servidores faz com que a UPA não seja fechada

    O Prefeito Rafael Greca junto com a secretária de saúde Márcia Huçulak, a vereadora Maria Letícia e o vereador Tico Kuzma fizeram juntos hoje (24) uma live do facebook onde declararam o não fechamento da UPA Pinheirinho a partir do “convencimento” feito por parte dos vereadores e das orações do prefeito Rafael Greca que se auto denomina “abridor de UPAs”.

    O SISMUC em conjunto com a população e os servidores da UPA protestaram ontem (23) contra o fechamento da unidade de saúde, e somente a partir da pressão exercida pelo sindicato, servidores, moradores, comerciantes, tanto os vereadores quanto o prefeito deram visibilidade ao fechamento dessa UPA. A vereadora Maria Letícia disse para a comunidade em reunião ontem (24) que conversaria com o prefeito Greca e marcaria uma reunião para semana que vem. Em nenhum momento nenhum dos vereadores participou ou ajudou com as mobilizações feitas.

    Gostaríamos de lembrar que o fechamento da UPA foi anunciado na última sexta (19) pela secretária de saúde Márcia Huçulak sem nenhum tipo de diálogo com a população ou com os servidores que trabalham no local. Na reunião o que foi repassado para os servidores é que a UPA fecharia devido a diminuição de atendimentos após a abertura das UPAs do Tatuquara e CIC, e seria reaberta como um local de atendimento especializado de emergências psiquiátricas, em contrapartida a secretária relatou em audiência pública que cerca de 159 mil pessoas migraram de planos privados para o SUS.

    Hoje (24) durante a live, o prefeito Rafael Greca também disse que a população deve saber que mais de 55% dos usuários da UPA Pinheirinho são de outras regiões de Curitiba e da região metropolitana, o SISMUC acredita que a população deve sim ter acesso a estes dados e entendemos que independentemente de onde venham os usuários da UPA ela é necessária para a população e por isso não deve ser fechada. Esperamos que a UPA Pinherinho tenha sim a reforma que a população merece, que os servidores sejam respeitados e que continue sendo pública e que não ocorra mais uma terceirização como são as UPAs do CIC e Tatuquara.

    O prefeito também diz que “não haverá leitos para doentes mentais”, sabemos que estes leitos não existem justamente pelo descaso da prefeitura para com a saúde mental e isto não se corrige a partir do fechamento de um aparelho de saúde e sim com a ampliação dos serviços especializados voltados para emergência psiquiátrica. Reiteramos também que o SISMUC não é contra a abertura de unidades para tratamento psiquiátrico, inclusive sabemos da importância destes locais para a população de Curitiba e reconhecemos o trabalho árduo dos servidores que fazem tanto, com tão poucos recursos.

    O serviço público municipal de Curitiba precisa de mais atenção da prefeitura, de investimentos e de contratação de novos profissionais, não somente de orações do prefeito. O SISMUC não se calará perante este desmonte e continuará se mobilizando, precisamos dos servidores e da população ao nosso lado para garantir que está UPA seja reaberta e que não seja terceirizada!

    Seguimos FIRMES!

    Imprensa SISMUC
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Monsenhor Celso, 225, 9º andar. Conjunto 901/902 - Centro. Curitiba- PR. Cep: 80010-150     Fone/Fax: (41) 3322-2475     E-mail: sismuc@sismuc.org.br

DOHMS