Notícias

Imprimir
  • 10/10/2018 Saúde

    Saúde das mulheres têm atenção especial em outubro

    Saúde das mulheres têm atenção especial em outubro
    Aproveite o mês de outubro para realizar exames preventivos e conheça seus direitos

    Movimento de alerta e prevenção ao câncer de mama, o Outubro Rosa visa sensibilizar as populações sobre a importância dos exames preventivos e do diagnóstico precoce da doença, tipo de câncer mais frequente entre as mulheres, principalmente a partir dos 50 anos.

    No Brasil, apenas em 2018, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) estimou 59.700 novos casos, dos quais mais de 14.388 resultarão em morte. Inseridas na campanha mundial, as unidades básicas de saúde de Curitiba estão com programação durante este mês de outubro, com mutirão para coleta de preventivos, palestras e ações voltadas para o público feminino.

    O SISMUC apoia a campanha mundial e ressalta a importância da realização do autoexame e a busca por orientação médica quando necessário.

    O que poucas pessoas sabem é que as pacientes diagnosticadas com a condição e que contribuíram com o INSS possuem direitos e podem entrar com pedido para solicitar seus benefícios.

    De acordo com levantamento da Secretaria da Previdência, em 2017, foram concedidos pouco mais de 21 mil auxílios-doença previdenciários em decorrência do câncer de mama, número menor que em 2016, quando foram liberados cerca de 500 auxílios a mais. São cinco os principais direitos do INSS para mulheres que estão na luta contra o câncer de mama:

    Auxílio-doença

    Para as pacientes impossibilitadas de trabalhar temporariamente, o auxílio-doença é um benefício assegurado. O auxílio-doença é pago mensalmente à portadora do câncer desde que fique comprovada a impossibilidade de atuação profissional. Para os trabalhadores individuais, como profissionais liberais e empresários, a Previdência Social pagará por todo o período incapacitante da doença, desde que seja requerido o benefício.

    Aposentadoria por invalidez

    Já para as pacientes que passam pela cirurgia de retirada das mamas e que ficam impossibilitadas de trabalhar de forma permanente, sem possibilidade de reabilitação, é possível solicitar a aposentadoria por invalidez. Para ter direito ao benefício, a segurada precisa ter iniciado as contribuições antes do diagnóstico da doença, e pode solicitar a aposentadoria por invalidez independentemente de ter feito as 12 contribuições pré-estabelecidas pelo INSS.

    Saque do FGTS e PIS

    Portadores do câncer de mama, ou pessoas que tenham uma dependente com a doença, também podem resgatar a quantia disponível no FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e nas quotas do PIS/PASEP. É necessário a segurada apresentar cartão do cidadão ou o número do PIS, a carteira de trabalho e um atestado médico válido por 30 dias, com o histórico da doença, estágio clínico atual e a cópia dos laudos. Para os casos de dependentes com a patologia, também é exigido um documento que confirme a ligação com a paciente.

    Auxílio acompanhante

    A segurada que necessita comprovadamente de um cuidador pode solicitar também o adicional de sua aposentadoria para auxiliar no custeio do acompanhante, previsto na Lei nº 8.213/91 – um acréscimo vitalício de 25% no benefício pago pelo INSS.

    Isenção de IR

    A gravidade do câncer de mama também isenta, por lei, as seguradas portadoras da doença de arcar com o Imposto de Renda, mesmo em caso de pacientes que já recebam benefícios da Previdência Social.

    Gisele Rossi
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Monsenhor Celso, 225, 9º andar. Conjunto 901/902 - Centro. Curitiba- PR. Cep: 80010-150     Fone/Fax: (41) 3322-2475     E-mail: sismuc@sismuc.org.br

DOHMS