Sua busca será em:
- Notícias
- Artigos de Opiniões
- Na Pauta
- Vídeos
- Galeria de Fotos

Notícias

Imprimir
  • 02/08/2017 Institutos

    Com aprovação de pacotaço, prefeitura aplica desinvestimento no IPMC

    Com aprovação de pacotaço, prefeitura aplica desinvestimento no IPMC
    Imprensa do Sismuc
    Em reunião, não foi apresentado estudo financeiro para justificar a coerência da nova medida

    O possível saque de R$700 milhões do IPMC recebeu muitas críticas e foi considerado inconstitucional por diversos órgãos públicos, caso do Ministério da Fazenda e Tribunal de Contas do Paraná.

    Em reunião do Conselho de Administração, a presidência do IPMC apresenta nova ação para compensar o valor arrecadado dos servidores inativos e pensionistas dos últimos cinco anos.

    O Sismuc participa do conselho na condição de suplente e o titular da vaga é o Sismmac. Na reunião, houve pauta polêmica do Instituto pedindo apoio aos sindicatos para o despejo forçado de dez famílias. 

    Essa manobra legislativa resultou na aprovação da Lei nº 15042 e do decreto 1269/2017, que trata do Plano de Equacionamento para cobertura do déficit atuarial e permite essa nova interpretação da lei do IPMC.

    Em reunião, não foi apresentado estudo financeiro para justificar a coerência da nova medida que vai permitir que, nos próximos 12 meses, a Prefeitura reduza os repasses obrigatórios ao Instituto.

    Com isso, o déficit deve ser de 60 milhões, diferença entre 90 milhões de despesas e apenas R$ 30 milhões investidos referentes ao repasse dos servidores.

    Desinvestimento

    “Estão fazendo um desinvestimento na carteira do IPMC, é perda de dinheiro para o aposentado”, critica Giuliano Gomes, coordenador do Sismuc e representante do sindicato.

    De acordo com o diretor financeiro do IPMC, desde janeiro de 2017, foram necessários desinvestimentos de mais de R$ 193 milhões para suprir a folha de pagamento e a primeira parcela do décimo terceiro salário.

    Em resumo, há uma retirada de dinheiro de aplicações para pagar aposentadorias e pensões porque a Prefeitura deixou de fazer repasses para compensar aquilo que a gestão entendeu já ter repassado referente aos últimos cinco anos.

    Confira a ata da reunião aqui

    Reforma da Previdência

    Ainda na reunião, o presidente do IPMC, José Taborda Rauen, chegou a auferir que a Reforma da Previdência, nacionalmente, pode ser importante para aplicação de políticas semelhantes em Curitiba, de acordo com Giuliano Gomes, da coordenação do Sismuc.

    Imprensa do Sismuc, com informações de Sismmac
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Monsenhor Celso, 225, 9º andar. Conjunto 901/902 - Centro. Curitiba- PR. Cep: 80010-150     Fone/Fax: (41) 3322-2475     E-mail: sismuc@sismuc.org.br

DOHMS