Notícias

Imprimir
  • 09/02/2018 Geral

    Política para juventude de Curitiba é ‘fake’

    Política para juventude de Curitiba é ‘fake’
    Marina Alzão
    Gestão não tem priorizado geração de empregos, passe livre e outras demandas do segmento

    O Conselho Municipal de Juventude se reuniu no dia 8 para debater o calendário de reuniões e fazer um balanço da secretaria de esporte, lazer e juventude (Smelj) em 2017. A próxima reunião ocorre dia 22 de fevereiro. Nesse encontro ocorre a primeira reunião ordinária.

    É papel do conselho discutir políticas públicas. De acordo com a gestão de Curitiba, o primeiro ano de mandato do prefeito Rafael Greca (PMN) enfatizou o combate à violência que envolve jovens. A estratégia do governo municipal é realizar ações culturais e de esporte. Por outro lado, a gestão ficou marcada pelo projeto “Balada Protegida”, que focava apenas nos jovens da região central de Curitiba, não envolvendo o jovem mais periférico.

    Para Marina Alzão, integrante do conselho, a Prefeitura de Curitiba não enfrenta a centralidade dos problemas para os jovens. Segundo ela, o governo deveria se debruçar em relação a geração de empregos, garantia de permanência nas escolas e políticas sociais de formação direcionadas ao combate ao racismo, homofobia e machismo. A gestão, por exemplo, em vez de discutir o passe livre, foca suas ações, inclusive com a Guarda Municipal, em reprimir os jovens considerados fura catraca, que atende os interesses dos empresários de ônibus.

    “A visão da Prefeitura de Curitiba é de maquiar a juventude em saraus, assembleias ‘fakes’ em que se discuta uma luz em uma quadra, mas não abre espaço para o debate de política de governo que dê protagonismo para a juventude”, compara Marina.

    Manoel Ramires
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Monsenhor Celso, 225, 9º andar. Conjunto 901/902 - Centro. Curitiba- PR. Cep: 80010-150     Fone/Fax: (41) 3322-2475     E-mail: sismuc@sismuc.org.br

DOHMS