Notícias

Imprimir
  • 15/01/2018 Geral

    Servidores de São José dos Pinhais denunciam desmonte na área de saúde

    Servidores de São José dos Pinhais denunciam desmonte na área de saúde
    Sinsep
    Município fecha Laboratório Municipal, Centro de Especialidades Medicas(CEM) e UPA Rui Barbosa

    Os servidores municipais de são José dos Pinhais realizaram ato de protesto na última quinta-feira(11) em frente à Unidades de Pronto atendimento(UPA) Afonso Pena. A atividade teve por objetivo alertar os servidores e a população sobre a situação caótica da saúde no município. Também denunciaram outras medidas da prefeitura que prejudicam o atendimento ao público como o fechamento do Laboratório Municipal, do Centro de Especialidades Medicas(CEM) e da UPA Rui Barbosa no ano passado, além de falta de insumos básicos.

    Segundo a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São José dos Pinhais(Sinsep), Marcia Andréia Grochoska, as medidas adotadas pelo prefeitoToninho Fenelon(PSC), além de não priorizar o serviço público, impactam a vida dos usuários que dependem de atendimento médico e isso gera revolta da população. “Quando iniciamos a distribuição dos panfletos e diálogo com a população que aguardava atendimento na UPA, apareceram por lá o secretário de Saúde (Giovani de Souza), o presidente do PREV (Fabrício Tambolo) e o chefe de gabinete do prefeito (Augustinho Michalizen) - que chegou a afirmar que levaria o Sinsep ao Ministério Público por que o sindicato estaria “incitando a população” e falando inverdades. Os populares foram questionar os referidos secretários do governo Toninho”, enfatiza Marcia.

    O sindicato também denunciou a falta de insumos básicos. “A assistência farmacêutica foi precarizada. O programa Farmácia Popular não funciona adequadamente(...) Farmácias do município não têm medicamentos para distribuir nem profissionais que os distribuam, como exige a lei e necessita a população. Unidades Básicas de Saúde não dão conta da demanda, são abertas e fechadas apenas para efeito de publicidade da atual administração “, declara o Sinsep em material de mobilização.

    Terceirização

    Outra política desastrosa do prefeito Toninho na área de saúde diz respeito ao fechamento do Laboratório Municipal. A gestão alega que ao transferir o serviço para o setor privado, os custos para esse serviço seriam reduzidos. No entanto, o sindicato é veementemente contra essa transferência por entender que as terceirizações desestruturam o atendimento, ampliam a insegurança no sistema e não garantem eficiência. Outra unidade que será terceirizada é a UPA Afonso Pena.

    Controle social

    Para Sonia, para melhorar a gestão de saúde é preciso qualificar o controle social por meio da participação dos cidadãos em diferentes espaços como associações de moradores, Conselho Municipal de saúde e equipamentos de saúde, os quais servem para denunciar a má qualidade do serviço público. Além disso, é preciso fiscalizar a atuação dos vereadores, secretários e o prefeito.

    Na avaliação da direção do Sinsep, a atividade foi muito importante, pois possibilitou à população entender que a responsabilidade pelo caos da saúde pública é da gestão e não dos servidores. Na ocasião, os profissionais aproveitaram, ainda, para denunciar ao Secretário de Saúde a falta de insumos básicos nas unidades de saúde como, por exemplo, seringa de 5 ml em UBS, indispensável para os procedimentos básicos.

Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Monsenhor Celso, 225, 9º andar. Conjunto 901/902 - Centro. Curitiba- PR. Cep: 80010-150     Fone/Fax: (41) 3322-2475     E-mail: sismuc@sismuc.org.br

DOHMS