Notícias

Imprimir
  • 27/10/2017 Geral

    Em mesa de negociação, somente os servidores apresentam proposta de reajuste

    Em mesa de negociação, somente os servidores apresentam proposta de reajuste
    Pedro Carrano
    Em reunião conturbada, prefeitura não apresenta proposta, fala em crise e retorno da pauta sindical será no dia 31

    A prefeitura afirmou em mesa de negociação, realizada na tarde hoje (27) não ter proposta oficial, em que pese a data-base ter sido adiada de 31 de março de 2017 para 31 de outubro deste ano.

    Mesa de negociação contou com a comissão dos sindicatos municipais - Sismuc, Sismmac, Sigmuc e Sinfisco -, e a comissão da prefeitura, com a presença do secretário de Administração e Recursos Humanos, Heraldo Alves das Neves, contou apenas com a apresentação dos sindicatos da demanda de 10% de reposição salarial (sendo 6,39% referente à inflação e 3,61% de aumento real).

    Ao lado disso, com a mudança da data-base de 31 de março até 31 de outubro de 2017, houve uma perda estimada de 38% de massa salarial. A demanda é que o valor seja pago em uma única parcela, em novembro.

    Nova reunião, com a devolutiva da administração sobre a proposta do funcionalismo, está marcada para o dia 31/10, justamente no dia da data-base, às 10 horas, no edifício Delta.

    Assembleia e organização

    O Sismuc convoca a categoria para no dia 31 (terça), às 19h, participar de assembleia para avaliar a contraproposta da prefeitura.
    Tensão

    A reunião já começou tensa, quando a prefeitura exigiu que apenas os representantes sindicais participassem, deixando de fora assessorias jurídica, econômica do Dieese e comunicação. Tal situação é inédita em reuniões como essas.

    A entrada da assessoria acabou sendo aprovada como primeiro ponto de pauta - com críticas dos sindicatos a este método de reunião.

    Logo depois, a gestão fez um balanço da situação financeira da capital. Na exposição oficial, a gestão alegou crise de receitas, apesar da aplicação do pacote de ajuste fiscal no início do ano.

    Comparou a situação, considerada caótica, a outras capitais brasileiras e projeta uma mudança de cenário, de acordo com situação nacional, apenas a partir de 2020. Ao lado disso, a prefeitura reconhece que a despesa com pessoal vem tendo queda considerável.

    Informação circula antes de conclusão das negociações
    Sindicatos questionaram e a mesa de negociação chegou a um impasse pelo fato de que foi publicada, no site da Gazeta do Povo, a informação de que a prefeitura teria definido o índice de reajuste em 1,5%, desrespeitando o espaço de negociação.

    Os sindicatos criticaram da gestão de possível divulgação de informações enquanto a negociação estava em andamento. A prefeitura, por sua vez, afirmou que a informação não seria oficial e o índice não estaria, em tese, definido. A reunião teve, então, sequência.

    Pedro Carrano
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Monsenhor Celso, 225, 9º andar. Conjunto 901/902 - Centro. Curitiba- PR. Cep: 80010-150     Fone/Fax: (41) 3322-2475     E-mail: sismuc@sismuc.org.br

DOHMS