Notícias

Imprimir
  • 27/04/2018 Geral
    IBGE

    Desemprego cresce e já atinge 13,7 milhões de brasileiros

    Desemprego cresce e já atinge 13,7 milhões de brasileiros
    Pedro Ventura
    No setor público, houve redução na quantidade de servidores estatutários e militares

    O desemprego cresceu no Brasil, de acordo com pesquisa divulgada pelo IBGE hoje (27). Segundo os dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD, População), A taxa de desocupação (13,1%) no trimestre móvel de janeiro a março de 2018 cresceu 1,3 ponto percentual em relação ao trimestre de outubro a dezembro de 2017 (11,8%). A pesquisa também mostra recuou na taxa de ocupação e no setor público, com as aposentadorias e a falta de concurso público para recompor pessoal.

    Em 2017, os desempregados eram 12,3 milhões. Agora, de acordo com o levantamento no primeiro trimestre de 2018, os desempregados são 13,7 milhões. Embora haja a retomada do desemprego no país, a taxa ainda é menor que igual período de 2017, quando os desempregados eram 14,2 milhões.

    A população ocupada (90,6 milhões) caiu 1,7% em relação ao trimestre de outubro a dezembro de 2017, quando era de 92,1 milhões. Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, quando havia 88,9 milhões de pessoas ocupadas, o crescimento foi de 1,8%. Assim, o nível da ocupação (53,6%) caiu 0,9 ponto percentual frente ao trimestre de outubro a dezembro de 2017 (54,5%). Em relação a igual trimestre de 2017, quando o nível da ocupação foi de 53,1%, a variação foi positiva (0,5 p.p).

    O número de empregados com carteira de trabalho assinada (32,9 milhões) caiu 1,2% frente ao trimestre anterior (outubro a dezembro de 2017), uma redução de 408 mil pessoas. No confronto com o trimestre de janeiro a março de 2017, a queda foi de -1,5% (-493 mil pessoas).

    O grupo dos empregados no setor público (inclusive servidores estatutários e militares), estimado em 11,2 milhões de pessoas, caiu 2,2% frente ao trimestre anterior. Ao se comparar com o mesmo trimestre do ano anterior, cresceu 3,2% (mais 345 mil pessoas). No plano federal, o congelamento dos gastos por 20 anos fez com que Temer, além de congelar salários, não promovesse concursos públicos. Em Curitiba, o prefeito Rafael Greca tem buscado trocar os concursos por terceirização como a introdução de organizações sociais.

    Salário médio
    O rendimento médio real habitualmente recebido em todos os trabalhos pelas pessoas ocupadas foi estimado em R$ 2.169 no trimestre de janeiro a março de 2018, registrando estabilidade frente ao trimestre de outubro a dezembro de 2017 (R$ 2.173) e também em relação ao mesmo trimestre do ano anterior (R$ 2.169).

Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Monsenhor Celso, 225, 9º andar. Conjunto 901/902 - Centro. Curitiba- PR. Cep: 80010-150     Fone/Fax: (41) 3322-2475     E-mail: sismuc@sismuc.org.br

DOHMS