Notícias

Imprimir
  • 04/10/2019 Na Pauta

    Greve dos agentes é marcada por intransigência da Prefeitura e violência policial

    Greve dos agentes é marcada por intransigência da Prefeitura e violência policial
    Foto: Repórter da Base
    O protesto pacífico dos agentes foi palco do autoritarismo da gestão Greca

    Já faz 1 semana que os agentes de combate às endemias estão firmes na greve da categoria! Nesta sexta-feira o dia foi marcado por protestos na inauguração usina hidrelétrica no lago do Parque Barigui e também por violência da Guarda Municipal (GM) no edifício Laucas, sede da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

    O nervosismo de Rafael Greca, com a presença dos servidores municipais, foi claro, e a postura da Prefeitura permanece a mesma: sem negociações reais com a categoria. O peso do autoritarismo da gestão não cai somente sobre os agentes, mas também sobre a população que se encontra sem a proteção adequada contra a dengue na cidade.

    Já no período da tarde Greca não poupou esforços e mandou a guarda municipal para cima dos trabalhadores! Foi com spray de pimenta e truculência policial que os servidores municipais que lutam pelos seus direitos foram recebidos no edifício Laucas. A postura autoritária de Greca e sua trupe já é conhecida pelos trabalhadores do município, jamais esqueceremos a aprovação do pacotaço em 2017 que aconteceu embaixo de muita violência. Não aceitaremos também que os agentes sejam tratados dessa forma, sua greve merece respeito!


    A administração municipal foge com suas responsabilidades e os agentes de combate às endemias permanecem na greve mais fortes do que nunca! O pedido dos agentes nada mais é do que a negociação real por um salário digno, dado a precariedade do seu trabalho. A categoria hoje é uma das mais mal pagas da Prefeitura, com um salário líquido que muitas vezes não chega a R$ 1000,00.

    Durante as supostas negociações, a Superintendente de Recursos Humanos da Prefeitura Luciana Varassin, enche a boca para dizer que a Prefeitura paga R$ 96,00 a mais do piso salarial para estes servidores. Mas a realidade é que essa quantia não chega nem perto de representar a valorização que a categoria precisa. E enquanto os trabalhadores estão em greve e a população em risco, Greca continua gastando o dinheiro público com propaganda para mascarar a real situação de Curitiba, em 3 anos de gestão foram mais de R$ 7,5 milhões.


    Se a administração acha que vamos parar, nosso recado é de que a greve vai continuar até a Prefeitura negociar! Para a próxima semana os agentes vão planejar um calendário das suas ações. Fique atento aos nossos meios de comunicação oficiais e acompanhe de perto a mobilização dessa categoria tão importante para a saúde da população.



    Assista ao vídeo abaixo da recepção truculenta da gestão Greca aos servidores.

Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS