Notícias

Imprimir
  • 30/10/2018 Saúde

    Os ataques a saúde não param e servidores vão para luta!

    Os ataques a saúde não param e servidores vão para luta!
    Foto: Repórter da Base
    Sindicatos vão até a Câmara Municipal para debater as reivindicações da saúde, enquanto servidores dão próximos passos para as mobilizações
    Na manhã da última segunda-feira (29), vereadores e representantes da Prefeitura receberam as direções do SISMUC, SISMMAC, SINFISCO e ASMEC, na Câmara Municipal, para debater as principais reivindicações da saúde: fechamento da UPA Pinheirinho, remanejamento de servidores e avaliação funcional.

    Mesmo com essa discussão, o desmonte do serviço público por parte da gestão Greca não para e a situação dos mais diversos setores é precária. A falta de recursos, de contratação de profissionais através de concursos públicos e o aumento das demandas vem gerando nos servidores uma sobrecarga de trabalho que, muitas vezes, chega ao adoecimento. Devemos cobrar incansavelmente que a Prefeitura pense nos servidores e na população e não nos grandes empresários como vem sendo feito.

    Terceirização e sucateamento do serviço público

    Não é de hoje que a terceirização da saúde vem sendo uma pauta debatida pelos servidores e que traz muita preocupação. Devemos lembrar que em novembro de 2016 a gestão Fruet fechou a UPA CIC para reformas. A unidade ficou fechada até 31 de julho deste ano, porém esta reabertura não se deu da forma como a população e servidores necessitavam.

    A UPA CIC é a primeira a abrir de forma terceirizada através de Organização Social (OS), sem a contratação de funcionários públicos. Felizmente, nesta semana o Sindicato dos Médicos do Estado do Paraná (SIMEPAR) teve uma nova vitória. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PR) entendeu que os médicos não devem ser contratados através da OS e que é necessária a realização de concurso, o que é uma vitória para os trabalhadores contra a terceirização da saúde.

    Vale lembrar que a gestão Greca aprovou na Câmara de Curitiba em agosto do ano passado, em regime de urgência, que as organizações sociais administrem serviços de saúde e educação na rede municipal. Os servidores protestaram de forma contrária a mais esse ataque da Prefeitura que sucateia o serviço público. Precisamos nos fortalecer para não deixar com que a gestão coloque as Organizações Sociais em outros locais, como por exemplo na UPA Pinheirinho, que será reaberta após uma reforma de 30 dias.

    Mobilização dos servidores e próximos passos

    Nesta terça-feira (30) servidores da UPA Pinheirinho realizaram um ato, passando pelo comércio próximo ao local e também parando em alguns semáforos para divulgar a situação que vem ocorrendo. A prefeitura anunciou o fechamento da UPA no dia 19 de outubro sem nenhum tipo de diálogo com os servidores ou população, alegando uma diminuição do atendimento na UPA, justificativa não comprovada pelos servidores que trabalham no local. Na última quarta-feira (24) depois da mobilização dos servidores em conjunto com a população e os comerciantes, o prefeito voltou atrás da sua decisão, optando por fechar a UPA somente para uma reforma.

    O ato desta terça-feira também teve como objetivo demonstrar a preocupação com os remanejamentos que acontecerão no período da reforma. Os servidores foram a uma reunião com representantes da Prefeitura que tinha como objetivo explicar como será feito essa transferência. De acordo com eles, o remanejamento acontecerá com divisões por categoria e tempo de Prefeitura, como sempre é feito em qualquer processo, isso garantiria a lisura do mesmo. Eles também garantiram que os servidores remanejados voltarão para a UPA assim que a reforma terminar.

    Sabendo dos caminhos que a gestão Greca e sua cúpula tem tomado, tentando levar a saúde rumo à terceirização, o SISMUC protocolará nos órgãos responsáveis dois ofícios: o primeiro pedindo a ata da reunião de hoje, para que os servidores possam ter acesso ao que foi discutido e o segundo exigindo a garantia de permanência dos servidores após a reforma. É muito importante que os servidores permaneçam mobilizados. É nosso papel exigir que a UPA reabra de forma pública, e que os servidores possam voltar para ela, do contrário pararemos e exigiremos nossos direitos.

    De acordo com a Prefeitura, o próximo encontro com os servidores acontecerá na segunda-feira, dia 05 de novembro, a partir das 9h, para a escolha das vagas. O diretor da UPA enviará por e-mail até amanhã (31) os horários em que cada categoria deve comparecer a reunião.

    O não fechamento da UPA Pinheirinho é mais uma vitória dos trabalhadores que não cessam em defender seus direitos! FIRMES!

    Imprensa SISMUC
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Monsenhor Celso, 225, 9º andar. Conjunto 901/902 - Centro. Curitiba- PR. Cep: 80010-150     Fone/Fax: (41) 3322-2475     E-mail: sismuc@sismuc.org.br

DOHMS