Sua busca será em:
- Notícias
- Artigos de Opiniões
- Na Pauta
- Vídeos
- Galeria de Fotos

Notícias

Imprimir
  • 16/10/2017 Geral

    Desigualdade gera lucro

    Desigualdade gera lucro
    Ricos e mercado financeiro lucram mais enquanto pobreza e desigualdade aumentam
    A desigualdade de renda no Brasil é uma escolha política. Em tempos de crise econômica, apenas o povo tem sido punido com congelamento de salários e cortes de políticas públicas. O governo liberal tenta responsabilizar o setor público pelo desiquilíbrio das contas. Porém, sonega dos brasileiros que os ricos têm ficado cada vez mais ricos, que eles sonegam impostos e são perdoados e que as suas isenções fiscais são pagas pelos mais pobres. Neste “curtas”, Ágora mostra que a pobreza é extremamente lucrativa.

    O mundo dos 1% e quem pagou o pato
    Em 2015, a Oxfam, uma ONG Britânica, divulgou dados alarmantes durante o Fórum Econômico Mundial. A entidade mostrou que a crise econômica do capitalismo não atingia os mais ricos. Quem fica mais pobre são os mais pobres. De acordo com o estudo, já em 2016, 37 milhões de pessoas que compõem o 1% mais rico da população mundial terão mais dinheiro do que os outros 99% juntos.

    Agora em 2017, a Oxfam focou no Brasil e revelou que apenas 6 bilionários tem o mesmo dinheiro do que 100 milhões de brasileiros. A pesquisa mostrou que 5% mais ricos do país concentram a mesma renda que os outros 95% da sociedade. De acordo com a diretora executiva da Oxfam Brasil, Katia Maia, os ricos pagam muito menos impostos no Brasil. “Existe a ideia de que todos pagamos muito imposto no Brasil, e é verdade. Mas quem está pagando essa conta é a classe média e as pessoas mais pobres”, afirma.

    Menos casa própria
    A CAIXA reduziu o percentual de financiamento da casa própria. Percentual que ia até 70% caiu para 50% do valor do imóvel. As alterações da regra atingem todas as modalidades do Minha Casa, Minha Vida, a utilização do FGTS e os cálculos que envolvem resgate de poupança.

    Bancos e Vale de lucros
    Se o poder de compra do brasileiro cai de um lado, de outro os bancos faturam cada vez mais. As quatro maiores instituições, Itaú, Banco do Brasil, Santander e Bradesco, juntas, lucram R$ 14,423 bilhões apenas no primeiro semestre de 2017. Um crescimento de 7,1% do setor. Somente o Itaú abocanhou R$ 6 bilhões. O Banco do Brasil faturou R$ 2,6 bilhões. “Curiosamente”, o governo golpista de Michel Temer quer privatizar a instituição.

    Outra empresa privada que se deu bem na crise é a Vale. Envolvida no escândalo da lama em Mariana e sem pagar as indenizações, a empresa cresceu 25% em relação ao primeiro trimestre de 2016. O lucro líquido da Vale foi de “apenas” R$ 7,8 bilhões. Recorde puxado pela maior produção de ferro e exploração de carvão em Moçambique.

    Salário mínimo a menos
    Ao definir o salário-mínimo de 2018, Temer baixou o valor de R$ 979 para R$ 969. Com isso, cerca de R$ 3 bilhões não entram no mercado de consumo, ficando no bolso do patronado. Por outro lado, de acordo com o DIEESE, se a Constituição Federal fosse respeitada, o salário básico dos brasileiros deveria ser de R$ 3.744,83.

    Quadro Atividades Domésticas

    MULHERES
    90% realizam atividades
    Renda de 1 salário mínimo | 94% realizam atividades
    Renda acima 8 salários | 79,5% realizam atividades

    HOMENS
    5 a 8 salários | 57% realizam atividades
    Baixa renda | 49% realizam atividades
    Mulheres e negros trabalham mais
    Estudo do IBGE confirma que “As mulheres trabalham em média 7,5 horas a mais que os homens por semana”. São 53,6 horas delas contra 46,1 horas deles. A pesquisa mostra que homens brancos têm os melhores rendimentos, seguidos de mulheres brancas, homens negros e mulheres negras.

    Sonegômetro
    De acordo com o Sinprofaz, foram sonegados 421,9 bilhões até setembro de 2017

    Janta e passeio mais caros
    A Petrobras decidiu subir, no fim de setembro, mais uma vez o gás de cozinha. A alta de 6,9% Com isso, o preço médio deve ficar R$ 1,55 mais caro para os consumidores do botijão de 13 quilos. A iniciativa atende ao livre mercado e a demanda internacional. “Considerando que o mercado de GLP ao longo do mês de agosto continuou mostrando-se pressionado por baixos estoques e que a proximidade do inverno no hemisfério Norte aumenta a demanda pelo produto”. Portanto, este reajuste repassa a variação de preços do mercado internacional.

    Em setembro também, a Petrobras reajustou o preço do diesel e da gasolina. As altas no preço do diesel é de 6,3% desde 1º de setembro e da gasolina de 5,7%. Os aumentos se justificam de acordo com o livre mercado.

    Esses constantes reajustes fizeram com que a arrecadação federal crescesse. “A arrecadação dos royalties de petróleo, que está crescendo desde o início do ano, veio bastante expressiva em abril”, assinalou, Claudemir Malaquias, chefe do Centro de Estudos Tributários da Receita Federal.

    Corta só no público
    O congelamento de gastos do governo federal só entra em vigor em 2018, teoricamente. Enquanto isso, Michel Temer e sua equipe seguem elevando os gastos públicos. Em agosto, esse valor chegou a R$ 3,40 trilhões. Era de R$ 3,34 trilhões em julho. Condescendência ou não, a dívida cresceu na época em que Temer liberou emendas parlamentares para rejeitar denúncia do Ministério Público Federal. O Tesouro Nacional, porém, afirma que o aumento se deve ao pagamento de juros e da especulação financeira com papéis do governo.
    Manoel Ramires
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Monsenhor Celso, 225, 9º andar. Conjunto 901/902 - Centro. Curitiba- PR. Cep: 80010-150     Fone/Fax: (41) 3322-2475     E-mail: sismuc@sismuc.org.br

DOHMS