Notícias

Imprimir
  • 07/06/2016 Fiscais

    Descaso da gestão deixa fiscais enfurecidos

    Descaso da gestão deixa fiscais enfurecidos
    Ata da reunião. Foto: Phil Batiuk.
    Respostas da administração municipal à pauta específica empurram debates para segundo semestre de 2016.

    Mais uma vez os fiscais saíram de mãos abanando da mesa de negociação com a Prefeitura de Curitiba. Eles planejam agora convocar colegas de trabalho para organizar mobilização no próximo coletivo, que acontece dia 23 de junho (quinta-feira).

    “Sem a pressão dos trabalhadores, a gestão continuará com a impressão de que pode nos fazer de bobos e ficar por isso mesmo”, critica Giuliano Gomes, que é fiscal e também coordenador do Sismuc.

    Pauta Específica

    Na mesa que ocorreu hoje (7) pela manhã, participaram apenas representantes das secretarias de recursos humanos, meio ambiente e obras públicas. Não compareceram os diretores do urbanismo e tampouco do abastecimento, fato que foi repudiado pelo sindicato logo no início do debate. Afinal, os fiscais estão espalhados por todas essas secretarias, de modo que a pauta deles deve necessariamente envolver todas essas pastas.

    A ampliação de 30% para 50% da gratificação para todos os fiscais, o descongelamento das referências da gratificação e a redução da jornada de trabalho para 30 horas foram negados, sob justificativa de que, diante das limitações orçamentárias e financeiras, as pautas econômicas não podem ser discutidas nesse momento pela gestão. “Sem poder debater as pautas econômicas, espera-se que haja avanços nas demais pautas específicas, mas não foi isso que aconteceu”, lamenta o coordenador.

    Quanto ao pedido pela implantação de identificação padronizada específica para realização das atividades de fiscalização, já debatido na mesa passada, a devolutiva foi que é possível fazer, mas somente para a secretaria municipal do meio ambiente. Por outro lado, a gestão não estipulou prazos e apontou que ainda aguarda resposta do RH sobre Lei de Responsabilidade Fiscal.

    Além disso, ficou acertado que será iniciada uma discussão com o sindicato, lá no mês de agosto, a respeito da criação conjunta de um protocolo de procedimentos do sistema de fiscalização. Sobre a disponibilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), o debate também ficou para agosto, pendendo proposta do sindicato. O descritivo de funções dos fiscais, apesar da gestão concordar que precisa ser revisto, também será debatido somente a partir de agosto, em um “cronograma de discussões para o segundo semestre de 2016”, conforme ata da negociação.

    Já o remanejamento, a gestão dá a entender que quer fazer um debate sobre o procedimento para diversas secretarias e cargos, mas a resposta foi apenas no sentido de que “será oportunamente objeto de estudo específico”.

    A organização das escalas de plantão com participação dos servidores foi item sumariamente negado pela administração. Ficou apenas a promessa de que as chefias serão orientadas a não favorecerem pessoas próximas e que casos isolados devem ser denunciados. Resposta considerada mais que insuficiente pelo sindicato.

    Phil Batiuk
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Monsenhor Celso, 225, 9º andar. Conjunto 901/902 - Centro. Curitiba- PR. Cep: 80010-150     Fone/Fax: (41) 3322-2475     E-mail: sismuc@sismuc.org.br

DOHMS