Na Pauta

  • 09/10/2018 Geral

    Reajuste de 3% não cobre nem a inflação do ano

    Reajuste de 3% não cobre nem a inflação do ano
    Percentual anunciado por Greca nas redes sociais impõe defasagem de 6,48% em relação aos últimos 31 meses
    Após 31 meses de congelamento salarial, o prefeito Rafael Greca anunciou nas redes sociais um reajuste de apenas 3% para os servidores municipais. O percentual, entretanto, não cobre sequer a inflação dos últimos 12 meses, calculada em 3,97% pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

    A proposta significa na prática uma defasagem salarial de 6,48%, já que a inflação acumulada desde o último reajuste é de 9,48%. Ao não repor toda a inflação do período, Greca impõe uma perda que corrói o poder de compra dos servidores, pois o preço da gasolina, do aluguel e das compras do mercado subiram muito mais do que o reajuste proposto.

    O anúncio do reajuste também escancara a farsa da mesa de negociação realizada no dia 4 de outubro, três dias antes da eleição. Na reunião, a Prefeitura se recusou a apresentar os dados sobre a situação financeira do município e, após a eleição, Greca divulgou o percentual de reajuste no Facebook sem sequer chamar os sindicatos para negociar, mostrando seu desrespeito com os servidores.

    A expectativa é que o projeto seja enviado ainda essa semana para Câmara Municipal e poderá entrar em votação a partir do dia 15 de outubro. É hora de reforçar nossa mobilização nos locais de trabalho e preparar a mobilização para acompanhar a votação do projeto com ato unificado dos servidores na Câmara.

    No dia 17 de outubro, os servidores debaterão a proposta de reajuste em assembleia unificada, a partir das 18h30, no Hotel Hara. Ajude a informar os colegas e a mobilizar o seu local de trabalho!

    União dos servidores cobrará reversão das perdas

    Além das perdas geradas pela inflação, os servidores continuam com o congelamento do Plano de Carreira e viram o salário ser reduzido por causa do aumento dos descontos dos institutos de Previdência e de Saúde.

    Agora, a Prefeitura pretende impor uma nova redução salarial de cerca de R$ 250, com a mudança na forma de pagamento do auxílio-transporte.

    Para reverter todos esses ataques, vamos apostar na força da união dos mais de 30 mil servidores! Venha para assembleia unificada do dia 17 de outubro, juntos somos mais fortes!
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Monsenhor Celso, 225, 9º andar. Conjunto 901/902 - Centro. Curitiba- PR. Cep: 80010-150     Fone/Fax: (41) 3322-2475     E-mail: sismuc@sismuc.org.br

DOHMS